10 de Junho de 2014 / às 20:49 / em 3 anos

Uefa diz não querer quinto mandato de Blatter na Fifa

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, concede entrevista em Jerusalém em 27 de maio. REUTERS/Ronen Zvulun

SÃO PAULO (Reuters) - A Uefa, organização que dirige o futebol europeu, afirmou ao presidente da Fifa, Josepp Blatter, nesta terça-feira que ele não é mais a pessoa adequada para dirigir a organização maculada por alegações de corrupção, um gesto de repúdio contundente ao seu comando a dois dias do início da Copa do Mundo no Brasil.

Mas o dirigente suíço de 78 anos não teve só más notícias. Mais cedo, quase todos apoiaram sua intenção de concorrer a um quinto mandato recorde à frente da Fifa na eleição presidencial do ano que vem na entidade que controla o futebol mundial.

Depois de ser aplaudido de pé por delegados da Ásia e da África na segunda-feira, o questionado presidente também foi endossado informalmente por Oceania, América do Norte e Caribe nesta terça-feira.

Mas as palavras que devem ecoar por mais tempo vieram da Uefa, onde a resistência a Blatter vem crescendo nas últimas semanas, desde o surgimento de novas alegações de corrupção a respeito da concessão da Copa de 2022 ao Catar.

“Senhor Blatter, não é nada pessoal, mas se você olhar para a reputação da Fifa ao longo dos últimos sete ou oito anos, ela está ligada a todo tipo de corrupção e de relações de compadrio”, disse Michael van Praag, presidente da Associação de Futebol Holandês, ao chefe da Fifa.

“A Fifa tem um presidente executivo, e você não está tornando as coisas mais fáceis para si mesmo, e não acho que você seja mais a pessoa certa para o cargo”.

Os preparativos para a Copa, que começa na quinta-feira em São Paulo, foram ofuscados pelas alegações do jornal britânico Sunday Times de que o ex-presidente da Confederação Asiática, Mohamed Bin Hammam, usou dinheiro de fundos secretos para ajudar a conquistar votos e apoio à campanha de seu país para sediar o Mundial.

O Catar nega as alegações e afirma não ter conexão com Bin Hammam, que ainda não se manifestou publicamente.

Disputas trabalhistas e manifestações, desencadeadas pela revolta com os gastos do torneio e pela dificuldade do Brasil para se preparar para o evento, também azedaram o clima de expectativa da Copa.

A Uefa está esperando para ver se seu chefe, o ex-jogador francês Michel Platini, está disposto a concorrer contra Blatter no ano que vem, no que seria um confronto entre duas das personalidades mais poderosas do futebol.

“Platini discutiu isso com muitos membros, mas ainda não decidiu”, afirmou Van Praag aos repórteres em São Paulo. ”Sendo esse o caso, a Uefa não tem outro candidato”.

Ele acrescentou que acha que a Uefa deveria promover outra candidatura caso Platini decida não concorrer.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below