Fifa diz que Brasil não está pagando por custos operacionais do Mundial

terça-feira, 10 de junho de 2014 18:40 BRT
 

Por Anthony Boadle

BRASÍLIA (Reuters) - A Fifa defendeu-se nesta terça-feira das críticas pelas quais estaria faturando alto com a Copa do Mundo mais cara de todos os tempos, às custas do povo brasileiro.

A Fifa disse em comunicado que pagou os 2 bilhões de dólares em custos operacionais do Mundial com dinheiro proveniente da venda de direitos de TV e marketing, e que nenhum centavo de dinheiro do contribuinte brasileiro foi gasto nesse tipo de despesa.

O Mundial com 32 países começa na quinta-feira e teve um custo total para o Brasil de 25,8 bilhões de reais (11,6 bilhões de dólares) em investimentos, incluindo estádios, aeroportos, transporte urbano e outros projetos de infraestrutura. Um terço dos recursos foi gasto para construir ou reformar os estádios das 12 cidades-sede.

A Fifa afirmou que foi uma escolha do Brasil construir 12 estádios, em vez de optar por oito ou 10, e que entre os investimentos há projetos de infraestrutura que não são diretamente relacionados ao Mundial, os quais ficarão como legado para o país.

Muitos brasileiros consideram o montante de dinheiro gasto excessivo para um país em desenvolvimento que possui prioridades mais urgentes, e os críticos alegam que o dinheiro deveria ter sido empregado na melhoria de serviços públicos deficientes nas áreas de saúde, educação e transporte.

Os altos custos causaram desilusão com o principal evento de um esporte pelo qual os brasileiros são apaixonados. Manifestações contra o torneio, como as realizadas durante a Copa das Confederações no ano passado, continuam a ameaçar o andamento do Mundial.

Parte dos brasileiros acredita que a Fifa transformou a Copa em um grande negócio, ao ponto de obrigar o país a modificar suas leis para permitir a venda de bebidas alcoólicas produzidas por patrocinadores dentro dos estádios.

Outra crítica comum está relacionada ao preço dos ingressos, e a Fifa afirma que há ingressos disponíveis por preços considerados baratos quando comparados a outros eventos esportivos como a Olimpíada, corridas de Fórmula 1 e torneios de tênis.   Continuação...

 
Réplica da taça do Mundial é fotografada na sede da Fifa, em Zurique, em 23 de janeiro de 2014. REUTERS/Thomas Hodel