Parreira diz que Neymar não pode ganhar Mundial sozinho

terça-feira, 10 de junho de 2014 20:26 BRT
 

Por Pedro Fonseca e Rodrigo Viga Gaier

TERESÓPOLIS, Rio de Janeiro (Reuters) - Neymar é o jogador em quem o Brasil deposita as esperanças para conquistar a Copa do Mundo em casa, mas o atacante não vai ganhar o Mundial sozinho e precisa de uma equipe por trás, como aconteceu com grandes nomes como Pelé, Maradona e Romário, afirmou nesta terça-feira o coordenador técnico do Brasil, Carlos Alberto Parreira.

Comandante do time que teve Romário como destaque na conquista do tetracampeão mundial em 1994, Parreira reforçou, em entrevista à Reuters, o status de Neymar como principal nome do Brasil para a Copa do Mundo sem, no entanto, colocar sobre ele a pressão de levar o Brasil ao hexacampeonato mundial.

"Ganha a equipe. O craque faz a diferença de um lance e do outro, e o Neymar se encaixa exatamente nisso. Ele é o nosso grande jogador, o jogador que pode fazer a diferença, mas ele sozinho não vai ganhar a Copa do Mundo", disse o coordenador técnico do time treinado por Luiz Felipe Scolari em entrevista após treino da seleção na Granja Comary, em Teresópolis (RJ).

"Ele vai ganhar com uma equipe por trás, como foi com Maradona, Romário, Pelé e todos os jogadores que se sobressaíram numa Copa do Mundo. Sempre tiveram por trás uma equipe", acrescentou Parreira, depois da última atividade da seleção no centro de treinamento antes de embarcar para São Paulo, onde enfrenta na quinta-feira a Croácia no jogo inaugural da Copa.

Segundo Parreira, que vai disputar a nona Copa do Mundo de sua carreira, o Brasil não depende exclusivamente de Neymar para sagrar-se campeão, apesar da inegável qualidade do jogador do Barcelona.

"Ele é importantíssimo, se nós por acaso não o tivermos em algum jogo, claro que vamos ter que encontrar soluções para poder jogar sem o Neymar. A gente não pode achar que se o Neymar se machucar o Brasil não vai ser campeão do mundo", disse Parreira.

"O Pelé saiu em 1962, era o melhor do mundo, rei do futebol, e o Brasil foi bicampeão", acrescentou o coordenador, lembrando a lesão que tirou Pelé no meio da Copa de 1962.

Neymar comandou o Brasil na conquista da Copa das Confederações do ano passado, quando foi eleito o melhor jogador do torneio e colocou um fim na desconfiança existente até então sobre ele por não repetir com a camisa do Brasil os mesmos rendimentos que tinha pelo Santos.   Continuação...

 
Neymar, camisa 10 e artilheiro da seleção, durante amistoso com o Panamá em Goiânia.. 3/6/2014. REUTERS/Ueslei Marcelino