11 de Junho de 2014 / às 14:49 / em 3 anos

SAIBA MAIS-Conheça os 23 jogadores da Argentina

BUENOS AIRES (Reuters) - Conheça detalhes dos 23 jogadores convocados pela Argentina para disputar a Copa do Mundo.

Seleção da Argentina em foto antes de amistoso internacional contra Trinidad e Tobago antes da Copa do Mundo de 2014. REUTERS/Marcos Brindicci

GOLEIROS

Sergio Romero (Monaco), 27 anos, 45 jogos. Homem alto, de 1,92 metro, titular do time principal desde as últimas partidas das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. Ganhou a confiança do técnico Alejandro Sabella apesar de não atuar muito pelo seu clube na temporada.

Mariano Andujar (Catania), 30 anos, 8 jogos. O homem mais alto do time ajudou o Estudiantes de La Plata a vencer a Copa Libertadores em 2009, com um recorde de 800 minutos sem ser vazado, antes de ganhar uma transferência para a primeira divisão da Itália. Bom no jogo aéreo e em cima da linha, defenderá o Napoli depois da Copa do Mundo.

Agustín Orión (Boca Juniors), 32 anos 3 jogos. Um dos quatro jogadores da equipe que joga no futebol argentino. Começou a carreira no San Lorenzo, em 2003, e passou a temporada 2010/11 ajudando o Estudiantes a vencer a liga, sob o comando do atual técnico da seleção Alejandro Sabella, antes de acertar com o Boca. 

DEFENSORES

Pablo Zabaleta (Manchester City), 29 anos, 36 jogos. Capitão da Argentina no título da Copa do Mundo sub-20 de 2005 e já desempenhou o mesmo papel no City. Ajudou a Argentina a vencer a medalha de ouro olímpica em 2008 e venceu o Campeonato Inglês, a Copa da Inglaterra e a Copa da Liga Inglesa pelo City.

Federico Fernández (Napoli), 25 anos, 24 jogos. Zagueiro de 1,91 metro, começou a carreira no Estudiantes, com Sabella. Transferiu-se para o Napoli em 2013 e passou a última temporada emprestado ao Getafe, da Espanha. 

Ezequiel Garay (Benfica), 27 anos, 18 jogos. Zagueiro que surgiu na cidade natal de Lionel Messi, Rosário, e chegou ao Racing Santander aos 19 anos. Foi do Real Madrid para o Benfica, em 2011, e ajudou os portugueses a chegarem às duas últimas finais da Liga Europa. Outro do grupo que participou dos títulos argentinos nas categorias de base. 

Marcos Rojo (Sporting Lisboa), 24 anos, 20 jogos. Mais um produto do sistema de jovens do Estudiantes. Ajudou o clube a vencer a Copa Libertadores e o Campeonato Argentino, em 2010, com Sabella. Alto, joga de zagueiro pelo Sporting. Chegou a Portugal do Spartak Moscou, em 2012.

Hugo Campagnaro (Inter de Milão), 33 anos, 13 jogos. Desenvolveu-se tarde, mas atuou pelo Morón, da segunda divisão argentina, e pelo Napoli, depois de passagens por Piacenza e Sampdoria. Acertou com a Inter de Milão ano passado. Sobreviveu a um acidente de carro durante um feriado na Argentina em 2011 que matou três pessoas, inclusive seu melhor amigo. Estreou pela Argentina em fevereiro de 2012, na vitória por 3 x 1 sobre a Suíça. 

José Bastan (Monterrey), 30 anos, 8 jogos. Outro defensor que começou a carreira no Estudiantes. Sabella o convocou pela primeira vez para enfrentar a Bolívia, fora de casa, na altitude de La Paz, há um ano, partida que a Argentina perdeu por 6 x 1 sob o comando de Maradona quatro anos atrás.

Martín Demichelis (Manchester City), 33 anos, 37 jogos. Zagueiro alto, usa rabo de cavalo e se transferiu do River Plate para o Bayern de Munique, clube que defendeu por sete anos. Jogou no Málaga sob o comando do técnico do City, Manuel Pellegrini, que o levou para reforçar a defesa e Demichelis acabou virando titular ao lado de Vincent Kompany no coração do clube campeão da Premier League. Veterano da Copa do Mundo de 2010 com Diego Maradona, perdeu seu lugar no time de Sabella no começo das eliminatórias para o Brasil, antes de voltar a ser convocado pela sua forma recente no City.

MEIO-CAMPISTAS

Javier Mascherano (Barcelona), 31 anos, 95 jogos. O “chefito” foi capitão da Argentina na Copa de 2010, na África do Sul, e fez o seu nome por roubar muito bem a bola e distribui-la, com um grande senso de posicionamento. Está jogando como zagueiro pelo clube espanhol nas últimas duas temporadas. Venceu títulos nacionais com River Plate, Corinthians e Barcelona e também defendeu West Ham e Liverpool, na Inglaterra.

Fernando Gago (Boca Juniors), 28 anos, 46 jogos. Produto da academia do Boca Juniors, passou três temporadas no time principal antes de acertar com o Real Madrid, em 2007, após impressionar com a sua visão de jogo e capacidade de armação. Foi para a Roma e para o Valencia, mas retornou ao Boca, via Vélez Sarsfield, ano passado. Peça chave no meio-campo de Sabella, tem o apelido de “Pintita” e é casado com a ex-tenista profissional Gisela Dulko. 

Lucas Biglia (Lazio), 28 anos, 17 jogos. Reserva de Mascherano ou Gago, passou sete anos no Anderlecht e ajudou o time a vencer quatro vezes o Campeonato Belga antes de se transferir para a Lazio, em 2013. 

Augusto Fernández (Celta de Vigo), 28 anos, 7 jogos. Participou do time do River Plate que venceu o Campeonato Argentino com Diego Simeone, em 2008. Sua primeira passagem pela Europa foi no Saint Étienne. Voltou para casa, ganhou outro título argentino com o Vélez Sarsfield, em 2011, e acertou com o Celta, no ano seguinte. 

Maxi Rodríguez (Newell’s Old Boys), 33 anos, 52 jogos. Meia-direita, tem o apelido de “Fiera” (fera) pela sua atitude resiliente. Marcou um gol espetacular na Copa do Mundo de 2006, matando a bola no peito e batendo nela sem deixar cair no chão, de fora da área, na vitória da Argentina por 2 x 1 sobre o México, na prorrogação das oitavas de final. Incisivo, gosta de movimentos diagonais rumo à área e foi tão reserva com Maradona quanto é com Sabella. Marcou 14 vezes pela Argentina. 

Ricky Álvarez (Inter de Milão), 26 anos, 5 jogos. Habilidoso, o meia-direita ganhou uma transferência para a Inter pelas suas performances no Vélez Sarsfield no título argentino de 2011, mesmo ano em que estreou na seleção, junto com Sabella, contra a Venezuela, em amistoso realizado em Kolkata. 

Enzo Pérez (Benfica), 28 anos, 4 jogos. Um ponta rápido que pode jogar nos dois lados do campo ou pelo meio. Chamou a atenção dos portugueses depois de defender o Estudiantes de Sabella e ajudá-lo a vencer a Copa Libertadores de 2009. 

Ángel Di María (Real Madrid), 26 anos, 45 jogos. Magro, dinâmico, o ponta-esquerda, cujo apelido é “Fideo” (espagueti), aparece em todo lugar do ataque. É muito difícil de ser marcado ou parado, faz gols e dá passes brilhantes para os companheiros toda hora. Manteve seu lugar no Real Madrid apesar da suposta ameaça de Gareth Bale pela esquerda e foi espetacular na vitória sobre o Barcelona na decisão da Copa do Rei, em abril. 

ATACANTES

Lionel Messi (Barcelona), 26 anos, 84 jogos. Melhor jogador do mundo, multicampeão pelo clube, pequeno e chamado de “Pulga”, Messi tem um controle de bola em velocidade excepcional, habilidade que ficou famosa com Diego Maradona. É o segundo maior artilheiro do país com 37 gols, 19 a menos que Gabriel Batistuta. Passou Hernán Crespo (35) e Maradona (34) ano passado. Curiosamente, marcou apenas uma vez em sete partidas ao longo de duas Copas do Mundo. Deixou a sua marca na vitória por 6 x 0 sobre a Sérvia, em 2006. Completa 27 anos em 24 de junho. 

Gonzalo Higuaín (Napoli), 26 anos, 36 jogos. Brilhante finalizador, marcou três em um jogo de Copa do Mundo contra a Coreia do Sul, em 2010. Ele também poderia atuar pela França, porque nasceu em Brest, onde jogou seu pai zagueiro “Pipa”, de quem herdou o apelido “Pipita”. Inteligente, prefere correr em direção aos passes, mas também faz um bom trabalho com as costas para o gol, segurando a bola. Marcou 20 vezes em partidas pela seleção. 

Sergio Aguero (Manchester City) 26, anos, 50 jogos. É chamado de “Kun” por causa de um desenho japonês e é considerado pelo companheiro de clube Fernandinho uma das pessoas mais engraçadas que o brasileiro já conheceu. Faz gols toda hora pelo seu clube, com tremenda habilidade e agilidade para vencer os defensores. Especialista dentro da grande área, tem 21 gols pela Argentina. É filho do primeiro neto de Diego Maradona, Benjamin. 

Rodrigo Palacio (Inter de Milão), 32 anos, 21 jogos. Reserva na Copa do Mundo de 2006 com José Pekerman, mas considerado por Sabella um dos jogadores mais táticos do mundo. Diferente de outros atacantes argentinos, não foi para a Europa ainda jovem. Deixou o Boca Juniors para o Genoa aos 27 anos, em 2009, e foi para a Inter em 2012. 

Ezequiel Lavezzi (Paris Saint-Germain), 29 anos, 29 jogos. “Pocho” (cheinho) é temperamental, extremamente habilidoso e às vezes arranja confusão com os árbitros, mas em outras ocasiões faz a festa dos torcedores com seus truques e velocidade. Chegou ao PSG do Napoli, clube no qual virou um dos favoritos dos torcedores que amam Maradona, depois de se destacar no San Lorenzo. 

Por Rex Gowar

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below