CURTAS-Mais garis do que PMs na chegada à Arena Corinthians

quinta-feira, 12 de junho de 2014 15:05 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - No acesso da estação de metrô Corinthians-Itaquera para a Arena Corinthians, onde acontece na capital paulista na tarde desta quinta-feira a abertura da Copa do Mundo com o jogo entre Brasil e Croácia, havia mais garis do que policiais militares, apesar de todo o temor que se criou com a possibilidade de transtornos na chegada de torcedores ao estádio por manifestações populares contra o Mundial.

Sem sujeira alguma no chão, os garis estavam encostados em uma grade ou apoiados em seus respectivos cestos de lixo.

"Pra gente não tem feriado, mas fiquei feliz quando meu supervisor me disse que trabalharia aqui", disse a gari Cristiana Silva, 32. Ela e os outros garis trabalham apenas do lado de fora do estádio e haveria troca de turno entre 14h e 15h. "Poderei ver o jogo em casa", afirmou Cristiana.

Embora a maioria dos garis não mostrasse qualquer sinal de angústia com a falta de trabalho (ou lixo para ser recolhido), um ou outro se apressava para recolher qualquer papel de bala ou sujeira que aparecesse.

O entorno da arena pode não estar totalmente pronto, caso por exemplo de uma passarela com a estrutura aparente, e o próprio estádio ainda exige acabamentos. Mas tudo está bastante limpo, pelo menos.

OI GARANTE SERVIÇO (A JORNALISTAS)

Um trio de técnicos da operadora de telefonia Oi circulava pela tribuna de imprensa desde as 13h30 com os celulares na mão para testar se tudo funcionava. Um deles --perguntado sobre se havia técnicos em outras partes do estádio, junto à torcida para assegurar a qualidade da Internet e da telefonia móvel na arena na abertura da Copa-- respondeu: "No resto do estádio não, só para a área de imprensa. No resto do estádio só tem a rede".

  Continuação...

 
Policiais fazem a guarda nos arredores da Arena Corinthians, antes da abertura da Copa do Mundo, em São Paulo. 12/6/2014 REUTERS/Murad Sezer