Polícia do Rio e manifestantes entram em confronto nos Arcos da Lapa

quinta-feira, 12 de junho de 2014 15:00 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Manifestantes contrários à realização da Copa do Mundo entraram em confronto com a polícia no centro do Rio de Janeiro nesta quinta-feira, horas antes da partida inaugural do Mundial entre Brasil e Croácia, em São Paulo.

A confusão teve início quando a Polícia Militar deteve um manifestante acusado de afrontar policiais, depois que a marcha de protesto chegou aos Arcos da Lapa, tradicional ponto turístico carioca, e penduraram bandeiras enormes com frases contra o Mundial.

A detenção gerou revolta dos manifestantes e a PM usou spray de pimenta e bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo para dispersar a multidão. Outras pessoas foram detidas.

Cerca de 1.000 manifestantes, segundo a polícia, saíram em marcha da Candelária em direção à Cinelândia carregando cartazes contra a Copa do Mundo e denunciando a má qualidade do atendimento público em áreas como saúde, educação e transporte.

À frente do protesto, manifestantes mascarados, conhecidos como black blocs, queimaram bandeiras do Brasil. Eles fecharam parcialmente as duas principais avenidas do centro da cidade.

"Fifa Go Home", "Estádio Luxo, Hospital Lixo" e "Cadê o trem-bala?" eram algumas das frases escritas nos cartazes levadas pelos manifestantes, que fecharam parte das avenidas Presidente Vargas e Rio Branco.

Nos Arcos da Lapa eles penduraram um cartaz gigante com a frase: "Nós queremos mais dinheiro para saúde, educação e cultura", escrita em português e inglês.

A PM destacou diversos homens para acompanhar a manifestação, que estava transcorrendo de forma pacífica até a primeira detenção. Também houve confronto nas manifestações em São Paulo contra o Mundial nesta quinta-feira.   Continuação...

 
Manifestantes enfretam polícia durante protesto contra a Copa do Mundo no Rio de Janeiro. 12/6/2014 REUTERS/Lunae Parracho