DESCE-Daniel Alves compromete na defesa e abre espaço para gol contra do Brasil

quinta-feira, 12 de junho de 2014 21:39 BRT
 

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) - O lateral-direito Daniel Alves deixou buracos na marcação e foi o destaque negativo da vitória brasileira na estreia da seleção brasileira na Copa do Mundo contra a Croácia, tendo deixado caminho aberto para o ataque croata inclusive no lance em que Marcelo marcou um gol contra.

O jogador do Barcelona esqueceu-se que a função de um jogador da sua posição é também defender, e foi justamente da ausência dele no setor defensivo que saiu o gol croata que abriu o placar. O Brasil precisou buscar a virada para ganhar de 3 x 1.

O buraco de Daniel Alves em seu setor deixou o ataque da Croácia livre para cruzar e ver a bola bater em Marcelo e entrar, no primeiro gol contra da história da seleção brasileira em Copas do Mundo.

Questionado após a partida se havia deixado a desejar do ponto de vista defensivo, o jogador discordou e mostrou alguma irritação.

"Não vi assim, mas respeito essa opinião, porque as opiniões a gente sempre respeita, mesmo que discordemos delas", disse o lateral a jornalistas.

"Eu estou satisfeito (com minha atuação), porque penso que estrear é sempre muito difícil e complicado e este é um esporte coletivo, e a gente tem que estar contente com o coletivo e não fazer leituras individuais, porque não praticamos um esporte individual."

Um chute de longa distância de Neymar, um pênalti convertido pelo camisa 10 e um contra-ataque de Oscar nos acréscimos deram a vitória ao Brasil, mas o técnico Luiz Felipe Scolari pode ter o que pensar sobre sua lateral-direita para a partida contra o México, em Fortaleza, em cinco dias.

O reserva Maicon, que tem na marcação um de seus pontos fortes, pode ganhar espaço na equipe. Maicon foi o titular do Brasil na Copa do Mundo de 2010, quando Daniel Alves estava na reserva.   Continuação...

 
Jogador brasileiro Daniel Alves recebe bola em jogo contra Croácia na abertura da Copa do Mundo, em São Paulo. 12/6/2014 REUTERS/Kai Pfaffenbach