Técnico da Austrália se inspira na trajetória do Chile, seu adversário

sexta-feira, 13 de junho de 2014 09:41 BRT
 

Por Mary Milliken

CUIABÁ (Reuters) - A Austrália dá nesta sexta-feira seu pontapé inicial na Copa do Mundo, contra o Chile, seleção tida como uma das maiores zebras do torneio, mas uma das principais inspirações do técnico Ange Postecoglou em sua tentativa de reiventar o futebol jogado pelos australianos.

Postecoglou disse que os australianos sabem lidar com a ínfima expectativa depositada em seu time por todo mundo do futebol, já que são a seleção pior colocada no ranking a disputar o Mundial no Brasil. Mas os "Socceroos" vão poder sentir o sabor nesta sexta do que o futuro lhes reserva.

"Eu não quero continuar vindo a Mundiais com as pessoas falando 'vocês não tem nenhuma chance'", disse Postecoglou em uma coletiva de imprensa na Arena Pantanal, em Cuiabá, na quinta.

"Prefiro que falem sobre nós da mesma maneira que hoje falam sobre o Chile. Acho que eles são um bom exemplo de um país que trabalhou nos últimos quatro ou cinco anos para se tornar uma potência, e é essa a nossa meta", acrescentou o treinador.

Postecoglou, de 48 anos, assinou em outubro um contrato de cinco anos com a seleção australiana, mas a equipe acabou sorteada em dezembro para um Grupo B incrivelmente duro, junto com a atual campeã Espanha, a Holanda, finalista de 2010, e o Chile, time sul-americano que alguns consideram uma possível surpresa na disputa pelo título.

"Sinto que eles podem causar algum impacto real nesse torneio", disse Postecoglou ao falar sobre o Chile. "Eles possuem uma união excepcionalmente forte."

Antes, no mesmo dia, o técnico do Chile, Jorge Sampaoli, elogiou Postecoglou por querer "jogar de uma maneira diferente, o que significa uma grande evolução para o futebol australiano."

Postecoglou possui grande reputação de reconstruir equipes e fazê-las jogar com ousadia, de maneira ofensiva. A formação 4-3-3 é a preferida do treinador.

 
Técnico da seleção da Austrália, Ange Postecoglou, durante treino de reconhecimento na Arena Pantanal, em Cuiabá. 12/06/2014. REUTERS/Paul Hanna