Foi pênalti claro, diz Fred

sexta-feira, 13 de junho de 2014 17:28 BRT
 

TERESÓPOLIS, Rio de Janeiro (Reuters) - O atacante Fred afirmou nesta sexta-feira que foi derrubado dentro da área e sofreu "pênalti claro" do croata Lovren na partida de abertura da Copa do Mundo, vencida por 3 x 1 pelo Brasil, na quinta, depois que a jogada polêmica colocou a seleção brasileira em vantagem na Arena Corinthians.

"Foi pênalti claro, não existe mais pênalti ou menos pênalti", disse Fred na Granja Comary em entrevista à CBF TV, publicada no site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

"Naquele lance eu dominei a bola com a direita já para girar, sofri uma carga no ombro, perdi o alcance da bola, me desequilibrei e eu cai. Não sou jogador de ficar caindo", afirmou.

"Vi muita gente falando que não foi pênalti, mas teve sim a carga e foi o suficiente para me tirar da bola para fazer o gol", acrescentou.

Apesar da declaração de Fred, imagens de TV mostraram que o atacante do Brasil desabou dentro da área simplesmente ao ser encostado de leve pelo adversário. O árbitro japonês Yuchi Nishimura, que assinalou a penalidade, tem sido bastante criticado pela decisão.

O pênalti, convertido por Neymar no segundo tempo, foi decisivo para a vitória brasileira na estreia na Copa, em São Paulo, uma vez que o jogo estava equilibrado e empatado em 1 x 1 até aquele momento.

O lance gerou uma reação furiosa da seleção da Croácia. O técnico Niko Kovac disse que a decisão do árbitro foi "ridícula" e que "vamos ter um circo" se a arbitragem continuar dessa forma.

Já o treinador Luiz Felipe Scolari defendeu o árbitro japonês e concordou com a marcação. "Para mim foi pênalti, vi 10 vezes o lance e para mim foi pênalti", disse Felipão depois da partida.

O chefe de arbitragem da Fifa, Massimo Busacca, afirmou nesta sexta-feira que o lance foi duvidoso e acrescentou que o árbitro estava bem posicionado na jogada. Segundo ele, é uma "fantasia" pensar que o pênalti foi marcado para favorecer o Brasil.

(Por Pedro Fonseca)

 
Fred sofre pênalti em partida contra a Croácia na Arena Corinthians, em São Paulo.  12/6/2014. REUTERS/Paulo Whitaker