Uruguai precisa de "atitude" diante da Inglaterra, diz Cavani

domingo, 15 de junho de 2014 14:17 BRT
 

FORTALEZA (Reuters) - O Uruguai precisa de mais garra do que a mostrada no sábado diante da Costa Rica para sobreviver à primeira fase do Mundial, disse o atacante Edinson Cavani depois da desastrosa estreia da seleção "celeste".

"Sinceramente, temos que sair, talvez com um pouquinho mais de atitude do que a que saímos nessa partida", disse o jogador do Paris Saint Germain a jornalista, depois da derrota no sábado para a Costa Rica por 3 x 1.

Segundo Cavani, o Uruguai deve sair na quinta-feira ante a Inglaterra "com os dentes apertados, sabendo que uma das últimas chances que temos é o próximo jogo para seguir participando da classificação".

No sábado, o bicampeão mundial foi apenas uma sombra da equipe que chegou às semifinais na África do Sul, em 2010.

O Uruguai abriu o marcador no primeiro tempo depois de um pênalti cobrado por Cavani, mas depois do descanso o time foi atropelado pelo ataque da Costa Rica.

Dois gols em quatro minutos mudaram a partida. Aos 8 minutos, Joel Campbell empatou em um forte chute de perna esquerda e pouco depois Oscar Duarte mergulhou de cabeça após cruzamento para fazer 2 x 1.

Marcos Urena marcou o terceiro, a seis minutos do fim, levando a Costa Rica a conquistar sua primeira vitória sobre o Uruguai após nove tentativas em todas as competições.

Para completar o dia ruim do Uruguai, Maximiliano Pereira foi expulso nos acréscimos ao acertar um chute em Campbell.

A equipe do Uruguai não contou com o astro Luis Suárez, que se recupera de uma cirurgia no joelho à qual foi submetido há três semanas.

Ao ser perguntado se com Suárez no campo a história teria sido diferente, o atacante Diego Forlán disse: "Sempre se sente a ausência de um companheiro ... mas já não jogou e não dá para ficar pensando se perdemos porque ele não estava".

(Por Rómulo M. Chendo)

 
Uruguaio Edinson Cavani, que pediu "atitude" contra Inglaterra, comemora gol contra Costa Rica em Fortaleza/ 14/6/ 2014.  REUTERS/Mike Blake