Longas filas fazem milhares de torcedores perderem início de jogo em Brasília

domingo, 15 de junho de 2014 17:40 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - Milhares de torcedores acabaram perdendo o início do jogo do Grupo E da Copa do Mundo entre Suíça e Equador neste domingo, a primeira partida realizada em Brasília, devido a longas filas para revista de segurança. 

O torneio tem decorrido sem grandes problemas nos últimos quatro dias, diferente do que era esperado, mas os torcedores que aguardaram em filas por horas e tiveram de ouvir a torcida comemorando ficaram desapontados do lado de fora do Estádio Nacional Mané Garrincha.

"Eu estou há uma hora esperando para entrar. É uma falta de organização", disse Júlio Mena, com a cara pintada com as cores de seu país natal, o Equador. Ele e outros acabaram ficando sob o escaldante sol de Brasília, esperando no estacionamento do estádio, esvaziado por motivos de segurança.

Um segurança disse à Reuters que a organização da partida havia decidido acelerar os procedimentos de segurança a cinco minutos do início da partida, passando a checar apenas as mochilas e fazendo com que os torcedores passassem pelo detector de metais, em vez de fazer a revista completa.

O governo brasileiro tomou medidas especiais para incrementar a segurança para o torneio, com cerca de 100 mil policiais vistoriando as 12 cidades-sede, auxiliados por 60 mil soldados do Exército. 

O Mané Garrincha, o mais caro dos 12 estádios do torneio, esteve no foco dos manifestantes nas últimas semanas. Muitos brasileiros reclamaram que os gastos com a Copa do Mundo poderiam ter sido empregados em áreas como educação e saúde.

No domingo, no entanto, a festa dos torcedores acabou ofuscando um pequeno protesto com cerca de 130 pessoas, entre elas grevistas da área da educação. Os manifestantes pararam quando acessaram o cordão policial que os separavam do estádio e concordaram em deixar pacificamente a área quando o jogo começou.

(Por Anthony Boadle)

 
Manifestantes, que foram barrados por um cordão de isolamento antes de chegar ao estádio Mané Garrincha, marcham rumo a estádio para protestar contra os gastos com a Copa do Mundo. 15/6/2014.  REUTERS/Joedson Alves