Chile é uma seleção “suicida” que sonha em ser campeã mundial, diz meia Vidal

segunda-feira, 16 de junho de 2014 17:44 BRT
 

Por Luis Ampuero

BELO HORIZONTE (Reuters) - A seleção do Chile é um tanto suicida, já que não mede os riscos na hora de atacar, disse nesta segunda-feira o meia Arturo Vidal, destacando que o grande sonho da equipe é vencer o Mundial e que a partida contra a Espanha é uma grande oportunidade para descobrir se é capaz disso.

Vidal, que jogou cerca de 60 minutos na partida em que o Chile derrotou a Austrália em sua estreia pelo Grupo B do Mundial, também destacou estar 100 por cento disponível para ser usado pelo técnico Jorge Sampaoli no jogo de quarta-feira contra a Espanha, no Maracanã.

“Muitos dizem por aí que devido à nossa forma ofensiva de jogar somos uma seleção meio suicida, pode ser, mas viemos com o objetivo de tentarmos ser campeões do mundo”, disse Vidal.

“Contra a Espanha teremos uma partida difícil, mas é um adversário espetacular para dar o primeiro passo”, acrescentou o jogador da Juventus.

Na quarta, o Chile vai tentar reverter seu histórico desfavorável contra a Espanha, no qual soma dois empates e oito derrotas em 10 encontros.

“É uma partida muito difícil contra, para mim, a melhor equipe do mundo... eles têm muita qualidade e esperamos que seja uma boa partida para nós”, acrescentou.

O jogador da Juventus disse estar totalmente recuperado de uma cirurgia a que foi submetido no menisco do joelho direito, e que está animado para encarar o que vier pela frente no Mundial.

“Fiquei muito feliz porque voltei a jogar por mais de 45 minutos e isso foi muito útil para frente, duas partidas importantes que temos agora e acredito que essa partida vá me ajudar muito a estar 100 por cento”, afirmou.

 
Chileno Vidal durante treino em Belo Horizonte. 12/06/2014   REUTERS/Sergio Moraes