16 de Junho de 2014 / às 21:54 / em 3 anos

CURTAS-Thiago Silva pede que torcida cante hino "agarradinho" para motivar jogadores

FORTALEZA (Reuters) - O capitão da seleção brasileira, Thiago Silva, fez um pedido especial à torcida que irá a Fortaleza assistir ao jogo do Brasil contra o México: cantar o hino nacional “agarradinho” com a pessoa do lado, assim como os jogadores fazem em campo.

“Queria pedir ao pessoal do Nordeste, principalmente àqueles que forem ao jogo, que se possível cante o hino junto, agarradinho, da mesma forma que nós jogadores cantamos dentro de campo”, disse o zagueiro nesta segunda-fera, véspera da partida contra o México, no Castelão.

“Isso aí é uma coisa que nos dá uma motivação muito maior. E a partir do momento que eu juntamente com o David (Luiz) fizemos questão de cantar o hino junto, isso mostra que a equipe está junta. E consequentemente, se vier por parte do torcedor também, a gente vai saber que eles estão junto com a gente”, explicou.

Resta saber agora se a torcida no Castelão, a primeira a cantar o hino nacional à capela durante a Copa das Confederações, se abraçará e atenderá ao pedido do capitão da seleção.

ABRE O OLHO, FELIPÃO

O técnico Luiz Felipe Scolari apareceu com um problema no olho direito para a coletiva de imprensa antes do último treino da equipe com vistas à partida contra o México, pela segunda rodada do Grupo A da Copa do Mundo, em Fortaleza.

Com os olhos vermelhos e lacrimejando, o comandante da seleção parecia estar com um terçol. Ainda assim, não perdeu o senso de humor nem a oportunidade de fazer graça da situação.

O treinador aproveitou uma frase do capitão Thiago Silva, de que Felipão poderia escolher o eventual substituto de Hulk, que é dúvida para a partida por causa de uma lesão, de “olhos fechados”.

“Eu já estou com um quase fechado aqui, ó”, disse, apontando para o olho direito.

INCENTIVO A PORTUGAL

Felipão esteve à frente da segunda melhor campanha da história de Portugal na história das Copas, o quarto lugar em 2006, e nesta segunda procurou dar, mesmo de longe, um incentivo à seleção que dirigiu por cinco anos e que foi goleada por 4 x 0 pela Alemanha.

O treinado recorreu a um exemplo de quando dirigia a equipe na Eurocopa de 2004, em solo luso, para dizer aos portugueses que nem tudo está perdido com a derrota.

“O incentivo que eu posso dar a Portugal antes de conversar com o pessoal é esse. Que em Portugal, nós perdemos (o primeiro jogo). Depois ganhamos o segundo e o terceiro jogos e fomos à final. Existe essa possibilidade, é muito grande, e Portugal tem time para isso”, disse o treinador.

Na Euro de 2004, Portugal perdeu a partida de estreia contra a Grécia, se recuperou e foi à final, onde voltou a ser derrotado pelos gregos.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below