Fifa se esforça para que tecnologia da linha do gol não pareça contraditória

segunda-feira, 16 de junho de 2014 19:09 BRT
 

Por William Schomberg

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Foi gol ou não foi gol? Em qual imagem acreditar? Programadores de informática trabalham contra o relógio para evitar que os torcedores recebam sinais contraditórios com o uso da nova tecnologia da linha do gol, como ocorreu no domingo durante a partida entre Honduras e França pelo Grupo E da Copa do Mundo.

A tecnologia da linha do gol, usada pela primeira vez em uma Copa, disse que “não foi gol” ao mostrar o momento em que a bola chutada pelo francês Karim Benzema bateu na trave. Em seguida, acusou “gol” ao mostrar o momento em que o goleiro hondurenho Noel Valladares colocou a bola acidentalmente para dentro.

O árbitro disse que validou o gol com a ajuda da tecnologia.

Um porta-voz da Fifa disse nesta segunda-feira que a tecnologia havia funcionado corretamente, mas que alguns ajustes seriam feitos no sistema para que não voltasse a dar dois resultados distintos para a mesma jogada.

“O que estamos fazendo é trabalhar para que se torne mais claro e vamos modificar o roteiro das animações relevantes para que em casos como os de ontem somente um resultado seja mostrado”, afirmou.

 
Goleiro de Honduras tenta salvar gol contra em jogo diante da França. 15/06/2014 REUTERS/Damir Sagolj