ANÁLISE-Além de Ochoa, Brasil passa em branco também por falta de opções no ataque

terça-feira, 17 de junho de 2014 20:41 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO, (Reuters) - Apesar das quatro grandes defesas do goleiro Ochoa, a atuação da seleção brasileira na partida desta terça-feira deixou a desejar na parte ofensiva, em que Fred esteve sumido em campo, Ramires não foi um substituto à altura para Hulk, e Oscar e Neymar foram incapazes de resgatar a equipe e impedir o empate de 0 x 0.

Reconhecido por complicar a vida do Brasil --venceu a final da Olimpíada de Londres e a decisão da Copa das Confederações de 1999, por exemplo--, o México mais uma vez colocou a seleção brasileira em dificuldades, e o time de Felipão agora terá de mostrar contra Camarões que os mexicanos foram apenas um tropeço e que a equipe ainda tem força para chegar à final no Maracanã.

Talvez se Guillermo Ochoa não tivesse realizado um milagre numa cabeçada de Neymar no primeiro tempo, quando salvou a bola em cima da linha, o Brasil poderia ter deslanchado no jogo como ocorreu em outras partidas em que o time tinha dificuldades mas foi salvo pelo camisa 10.

Dessa vez, no entanto, Ochoa não só salvou essa cabeçada como também impediu Paulinho de marcar cara a cara, salvou um chute de esquerda de Neymar e ainda uma cabeçada à queima-roupa do zagueiro Thiago Silva.

Mas foi praticamente só isso que o Brasil criou na partida, muito pouco para um time que jogou empurrado por um público de 60 mil torcedores e que carrega a enorme expectativa de ser campeão do mundo em casa pela primeira vez.

"Vamos trabalhar para ter as oportunidades para ganhar", disse após a partida o técnico Luiz Felipe Scolari, negando que a equipe seja dependente de Neymar. "Neymar não ganha sozinho, não perde sozinho. Faz parte de um grupo."

Sem poder contar com Hulk, que desfalcou o time devido a uma lesão muscular na coxa, o técnico Luiz Felipe Scolari começou a partida com Ramires compondo uma linha de três meias ao lado de Oscar e Neymar, tendo Fred como único centroavante.

Aberto pelo lado direito, o jogador do Chelsea, no entanto, não conseguiu repetir a importante função tática na defesa e no ataque exercida por Hulk e acabou sendo substituído ainda no intervalo por Bernard. O jovem da "alegria nas pernas" até melhorou o time no ataque, mas também não foi o bastante para dar maior volume de jogo ao Brasil.   Continuação...

 
Fred (direita) é substituído por Jô em partida do Brasil contra o México, no Castelão, em Fortaleza. 17/6/2014 REUTERS/Marcelo Del Pozo