Chilenos invadem centro de mídia do Maracanã para tentar ver jogo com Espanha

quarta-feira, 18 de junho de 2014 17:09 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Ossian Shine

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Pelo menos 200 torcedores chilenos invadiram o centro de mídia do estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, pouco antes da partida entre Chile e Espanha, nesta quarta-feira, e destruíram algumas instalações do local.

O episódio levantou grandes preocupações de segurança para a Fifa e os organizadores do evento, após, no fim de semana, torcedores argentinos terem conseguido pular o muro do estádio antes do jogo Argentina x Bósnia.

Ao menos 90 torcedores do Chile foram detidos pela Polícia Militar, enquanto alguns outros conseguiram acessar as arquibancadas, de acordo com uma fonte da organização da Copa.

Os torcedores quebraram a porta de vidro da entrada do centro de mídia e tentaram chegar ao portão que leva os jornalistas ao campo, na esperança de assistir ao jogo contra os espanhóis pela segunda rodada do Grupo B da Copa do Mundo.

Eles destruíram divisórias, arrombaram uma grade e promoveram uma correria na área designada para jornalistas, tentando encontrar um acesso às arquibancadas.

"Eles atravessaram o portão e correram para o estádio. Nós paramos eles", disse à Reuters o segurança Diego Guilherme de Souza Gonçalves.

Pelo menos uma torcedora chilena ficou ferida e foi levada para fora do local em uma cadeira de rodas.

"Não são bandidos nem marginais, são pessoas que estão no desespero, como eu, para tentar ver o jogo", disse um chileno à Reuters, que se identificou apenas como Alex.   Continuação...

 
Torcedores chilenos são escortados pela polícia após invadirem o estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, pouco antes da partida entre Chile e Espanha. 18/06/2014 REUTERS/Dylan Martinez