Após erros no início, árbitros do Mundial agradecem anonimato

quarta-feira, 18 de junho de 2014 19:50 BRT
 

Por Mike Collett-White

SAO PAULO (Reuters) - Vitórias por virada têm sido comuns na Copa do Mundo deste ano, então parece vir a calhar que, após um início de torneio complicado, os árbitros tenham desaparecido do noticiário, abrindo espaço para o ótimo futebol demonstrado.

O técnico da Croácia, Niko Kovac, alertou que um “circo” teria sido montado, após o controverso pênalti marcado pelo juiz japonês Yuichi Nishimura na partida de abertura do Mundial ter virado o ritmo da partida a favor do Brasil e ameaçado ofuscar o desempenho brilhante de Neymar em campo.

No jogo seguinte, quando México enfrentou Camarões, nada menos que dois gols de Giovani dos Santos foram anulados após questionáveis impedimentos que deixaram o jogador indignado.

Oribe Peralta foi providencial ao assegurar o 1 x 0 para o México e poupar a equipe de arbitragem de um vexame, mas seja qual tenha sido o resultado da partida contra Camarões, as decisões do juiz não seriam esquecidas assim tão facilmente.

Tais decisões discutíveis agora parecem uma lembrança distante em meio às emocionantes partidas, e Massimo Busacca, chefe de arbitragem para a Copa do Mundo, disse estar feliz com o desempenho geral.

“É impossível para o juiz não cometer nenhum erro ao longo de 90 minutos –do mesmo modo que os jogadores”, disse ele à Reuters por email nesta quarta-feira.

“Tentamos reduzir os erros e não influenciar o resultado. No geral, acho que estamos fazendo um trabalho muito bom e estou confiante para o resto da competição.”

Busacca negou comentar sobre incidentes específicos ocorridos na primeira semana do torneio, embora no dia seguinte ao jogo de abertura ele tenha defendido o pênalti marcado por Nishimura, dizendo que cabia também aos jogadores parar de segurar os adversários dentro da área.   Continuação...

 
Árbitro alemão Felix Brych durante jogo entre Uruguai e Costa Rica, em Fortaleza. 14/6/2014 REUTERS/Mike Blake