18 de Junho de 2014 / às 23:14 / 3 anos atrás

Chile ou Holanda, rival do Brasil nas oitavas terá ataque veloz como principal arma

Atacante Vargas comemora gol do Chile contra Espanha.Jorge Silva

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A menos que aconteça uma tragédia e o Brasil seja eliminado na primeira fase da Copa do Mundo, a seleção brasileira terá que enfrentar um adversário com atacantes velozes e habilidosos nas oitavas de final, seja o rival o Chile ou a Holanda.

Os dois times se classificaram antecipadamente para o mata-mata derrotando a atual campeã mundial Espanha com atuações que destacaram a qualidade dos setores ofensivos formados por jogadores que se movimentam bastante e comprovaram ter poder de fogo.

O trio chileno formado por Alexis Sánchez, Charles Aranguiz e Eduardo Vargas deixou perdida a defesa espanhola numa jogada de passes rápidos que resultou no gol que abriu o placar no jogo desta quarta-feira no Maracanã, marcado pelo ex-jogador do Grêmio Vargas.

Quando a Espanha já perdia por 2 x 0 e se lançou ao ataque no segundo tempo, os chilenos voltaram a ameaçar em jogadas de velocidade, que também foram chave na vitória de 3 x 1 sobre a Austrália na partida de estreia do Chile na Copa.

Se não for o Chile, adversário que já despertava preocupação do técnico Luiz Felipe Scolari desde o sorteio das chaves da Copa do Mundo, o Brasil terá nas oitavas de final um reencontro com a Holanda, que eliminou a seleção brasileira nas quartas da Copa do Mundo de 2010 na África do Sul.

Holanda e Chile vão se enfrentar no dia 23, em São Paulo, para decidir quem vai ficar com a primeira posição do Grupo B e escapar de um confronto com o primeiro colocado do Grupo A, que além de Brasil tem México, Croácia e Camarões.

Se cumprir o que disse antes do Mundial, Felipão vai torcer para que o Brasil pegue a Holanda. "Chile é clássico sul-americano, rivalidade. Europa é melhor, não tem rivalidade nenhuma, todo mundo joga seu jogo", disse Felipão no fim do ano passado sobre os possíveis rivais das oitavas de final.

Os holandeses reforçaram o status de candidatos ao título no Brasil com uma goleada de 5 x 1 sobre a Espanha em sua estreia no Mundial, com uma grande atuação dos homens de frente Arjen Robben e Robin Van Persie, que voltaram a brilhar no triunfo de 3 x 2 sobre a Austrália nesta quarta -- cada um fez um gol.

Mesmo com 30 anos, ambos continuam tendo a velocidade como arma. No jogo contra a Espanha, por exemplo, Robben saiu de seu próprio campo e bateu a defesa adversária numa arrancada para marcar um dos gols.

Ao mesmo tempo em que as jogadas em velocidade dos adversários provavelmente serão uma dor de cabeça para Felipão, o treinador pode preparar seu time para jogar no contra-ataque aproveitando os espaços.

A formação brasileira com dois homens de frente abertos pelas pontas --Oscar e Hulk contra a Croácia e Oscar e Ramires/Bernard contra o México-- pode encaixar bem com o jogo tanto de Chile como de Holanda.

Contra o México, o Brasil teve dificuldades para sair do zero em parte porque os homens de frente brasileiros não souberam sair da marcação adversária. Quando conseguiram finalizar, pararam no goleiro Guillermo Ochoa.

Enquanto Chile e Holanda já estão nas oitavas, o Brasil ainda precisa confirmar sua vaga na próxima fase contra Camarões, dia 23, em Brasília. A equipe perdeu a chance de conseguir a vaga antecipada ao ficar no 0 x 0 com o México e agora depende ao menos de um empate para avançar.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below