Uruguai bate Inglaterra com dois gols de Suárez

quinta-feira, 19 de junho de 2014 18:56 BRT
 

Por Peter Rutherford

SÃO PAULO (Reuters) - O atacante Luis Suárez recuperou-se após um mês de tratamento no joelho para marcar os dois gols do Uruguai na vitória sobre a Inglaterra por 2 x 1, nesta quinta-feira, na Arena Corinthians, o que mantém a equipe viva na Copa do Mundo e deixou os ingleses muito ameaçados.

"Eu sonhei com isso", disse Suárez, soluçando, após a partida. "Eu estou curtindo este momento por todas as críticas que recebi."

"O importante é que ganhamos, que era o que queríamos e agora é comemorar, descansar e pensar na Itália, que também é muito mais importante", completou.

O atacante do Liverpool foi operado há três semanas do menisco do joelho esquerdo, uma cirurgia que o fez temer por sua participação na Copa.

Wayne Rooney acertou o travessão com um cabeceio no primeiro tempo, mas a Inglaterra parecia fora de ritmo, e a mesma falha na marcação que levou o time a uma derrota contra a Itália em sua primeira partida permitiu espaço a Suárez, que completou de cabeça um cruzamento de Edinson Cavani, aos 39 minutos de jogo.

A Inglaterra empatou aos 30 minutos do segundo tempo, quando Rooney empurrou para as redes um cruzamento rasteiro de Glen Johnson, marcando seu primeiro gol em Copa do Mundo.

Mas Suárez, destaque do Campeonato Inglês pelo Liverpool nesta temporada, fez 2 x 1 aos 40 minutos, depois que a Inglaterra não conseguiu rebater um chute do goleiro Fernando Muslera.

"O segundo gol foi um erro defensivo da nossa parte", disse o técnico da Inglaterra, Roy Hodgson. "Viemos aqui com grandes esperanças, mas não fomos capazes de concretizá-las. É uma grande, grande tristeza, para mim."

O Uruguai junta-se aos times da Itália e da Costa Rica, que se enfrentam em Recife na sexta-feira, com três pontos, enquanto a seleção inglesa não tem nenhum ponto, após duas derrotas.

 
Torcedores do Uruguai mostram cartaz de apoio ao atacante Luis Suárez, após ele ter feito dois gols contra a Inglaterra, na Arena Corinthians, em São Paulo. 19/6/2014 REUTERS/Ivan Alvarado