June 22, 2014 / 3:53 PM / 3 years ago

Maracanã tem reforço na segurança e restringe acesso de torcedores após invasões

3 Min, DE LEITURA

Policiais reforçam segurança no Maracanã.Yves Herman

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O esquema de segurança montado para este domingo no Maracanã transformou o estádio numa fortaleza para evitar novas invasões de torcedores durante jogos da Copa do Mundo.

"Tem muito policial, está tudo cercado e esperamos que não haja problema hoje”, disse à Reuters um representante do Comitê Organizador Local (COL), que pediu para não ser identificado.

Há algumas mudanças em relação aos primeiros dois jogos no Maracanã. O perímetro de segurança no entorno do estádio foi estendido e áreas foram isoladas por policiais.

Vários grupos de policiais militares e de outras forças são vistos aglomerados ao lado de viaturas das corporações, cercas móveis também foram colocadas ao redor do estádio, e o acesso de torcedores se tornou mais rígido, com barreiras de policiais perto das principais entradas e já na saída das estações de metrô e trens próximas à arena --os torcedores sem ingresso são impedidos de passar.

“Meu ingresso está com um amigo que já chegou e o policial pediu que eu ligasse para ele para poder passar”, afirmou à Reuters o sueco John Magnusson, que estava acompanhado de duas pessoas que também foram barradas.

Perto dali, um grupo de russos abria mochilas no meio da rua à procura do ingresso do jogo para exibir aos policiais.

No centro de mídia, que foi invadido por ao menos 200 chilenos na partida entre Chile e Espanha, na quarta-feira, o policiamento também foi reforçado. Além das barreiras montadas, foi possível identificar cerca de 50 policiais vigiando a entrada e as grades temporárias que foram destruídas pelos chilenos para invadirem o estádio.

No domingo passado, argentinos pularam o muro do Maracanã para assistiram ao jogo de sua seleção contra a Bósnia.

A secretaria extraordinária de grandes eventos informou que convocou ao menos 600 recrutas da PM para trabalhar na partida entre russos e belgas. Eles se juntam a aproximadamente 3.000 homens das policias civil e militar que vem trabalhando rotineiramente nos jogos.

Moradores de ruas próximas ao Maracanã, onde vivem cerca de 25 mil pessoas, reclamam da dificuldade para acessar suas casas por conta do esquema de segurança montado para a partida. Alguns alegam que foram barrados mesmo apresentando comprovantes de residência.

Houve também pequenos registros de ingressos roubados e de cambistas agindo do lado de fora da arena. Na próxima quarta-feira, França e Equador voltam a jogar no estádio do Maracanã.

Reportagem de Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below