Parte dos torcedores presos por invasão ao Maracanã deixou país, diz PF

domingo, 22 de junho de 2014 19:59 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Dos 85 torcedores que foram detidos ao invadir o centro de mídia do estádio do Maracanã antes do jogo entre Chile e Espanha, na quarta-feira, 57 já deixaram o país, informou a Polícia Federal neste domingo.

O grupo que foi embora é composto de 56 chilenos e um boliviano envolvidos no espisódio, acrescentou a PF em comunicado.

"Os demais estrangeiros poderão ser deportados", disse a PF na nota.

Cerca de 200 torcedores invadiram o centro de mídia do Maracanã pouco antes da partida --que o Chile venceu por 2 x 0, eliminando a Espanha da Copa do Mundo-- e destruíram algumas instalações do local, aumentando a preocupação com a segurança nos estádios para as partidas do Mundial.

Alguns torcedores conseguiram entrar no estádio e 85 foram detidos. A PF havia informado que eles tinham 72 horas para deixar o Brasil.

Após a invasão, os organizadores do Mundial reforçaram a segurança no Maracanã. Neste domingo, no primeiro jogo depois do incidente, entre Bélgica e Rússia, houve um aumento de policiais e um rigor maior para o acesso dos torcedores no estádio.

(Reportagem de de Tatiana Ramil)