Alemanha rejeita reclamação de Klinsmann sobre vantagem injusta

segunda-feira, 23 de junho de 2014 17:10 BRT
 

Por Erik Kirschbaum

SANTO ANDRÉ Bahia (Reuters) - A Alemanha rejeitou nesta segunda-feira as críticas do técnico da seleção dos Estados Unidos, Juergen Klinsmann, de que a Fifa agendou partidas e locais de jogos para beneficiar seleções favoritas na Copa do Mundo, porque os alemães terão um dia a mais de descanso para se preparar para o confronto com os norte-americanos na quinta-feira.

O auxiliar-técnico Hansi Flick também minimizou o argumento de Klinsmann de que os EUA tiveram uma viagem mais longa, já que fizeram a segunda partida do Grupo G em Manaus.

"A tabela de partidas era conhecida de todos antes do sorteio e ninguém reclamou na época", disse Flick quando indagado sobre a reclamação de Klinsmann no domingo de que a Alemanha terá um dia a mais de descanso antes do duelo de quinta e distâncias menores para viajar em suas duas partidas em Salvador e Fortaleza.

Essas duas cidades estão a uma distância de um voo de uma hora e um de duas horas respectivamente em relação ao local de treino da seleção alemã em Santo André, na Bahia. Os Estados Unidos estão sediados em São Paulo e tiveram de voar quatro horas para chegar a Manaus.

"Escolhemos o local da nossa concentração após o sorteio", disse Flick. "Todas as equipes tiveram a chance de colocar sua concentração onde bem entendessem para que tivessem que viajar ou voar a menor quilometragem possível. É por isso que escolhemos a nossa concentração aqui onde ela está."

Klinsmann, que foi técnico da Alemanha entre 2004 e 2006 e levou a equipe à terceira colocação no Mundial disputado em solo alemão em 2006, disse que os alemães terão definitivamente uma vantagem sobre sua equipe por causa do dia extra de descanso e da viagem mais curta.

"A Alemanha jogou ontem e então eles têm mais tempo para se recuperar. Nós jogamos na Amazônia, e eles não terão de viajar tanto", disse o ex-atacante da seleção da Alemanha, que também foi capitão da equipe, marcou 47 gols em 108 jogos e disputou três Copas do Mundo.

"Tudo foi feito mais fácil para os favoritos, enquanto nós teremos que batalhar para avançar, mas é isso que vamos fazer", disse.

 
Auxiliar técnico da Alemanha, Hansi Flick, em coletiva de imprensa em Santo André (BA). 26/6/2014  REUTERS/Arnd Wiegmann