Felipão aprova atuação de Fernandinho, mas não garante escalação contra Chile

segunda-feira, 23 de junho de 2014 20:10 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O técnico Luiz Felipe Scolari gostou do desempenho do volante Fernandinho, que entrou no segundo tempo na vaga de Paulinho durante a vitória da seleção brasileira sobre Camarões por 4 x 1, mas não garantiu a escalação dele para o jogo contra o Chile, pelas oitavas de final da Copa do Mundo.

"A entrada do Fernando foi boa, providencial. Criou, além de questões defensivas, situações no ataque", disse ele em entrevista coletiva nesta segunda-feira no estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

"Vamos mudar horários de treinamento para chegar no jogo de sábado tranquilo e com a melhor equipe", completou.

Questionado se pretende mudar a equipe titular para o confronto diante do Chile, no sábado, em Belo Horizonte, Felipão afirmou que vai "analisar".

"Não sei ainda. Vou analisar normalmente os jogos amanhã, quando tivermos com essa adrenalina fora do corpo", declarou.

Fernandinho melhorou o meio-campo do Brasil, que parecia perdido no primeiro tempo, e ainda marcou o quarto gol do time brasileiro diante dos camaroneses.

O treinador brasileiro admitiu que não gostaria de enfrentar na próxima fase o Chile, que eliminou a atual campeã Espanha com uma vitória por 2 x 0 na semana passada e ficou em segundo lugar no Grupo B após derrota para a Holanda por 2 x 0 nesta segunda.

"Se eu pudesse escolher, escolheria outra seleção, é uma equipe sul-americana, com catimba, qualidade, organização, tudo isso o Chile tem", afirmou ele.

Felipão voltou a dizer que o Brasil está crescendo durante a competição, depois da vitória por 3 x 1 sobre a Croácia na estreia e do empate sem gols com o México na segunda rodada do Mundial.

"A natureza não dá saltos. Estamos progredindo lentamente...já melhoramos de novo, do jogo com o México. Precisamos melhorar um pouco mais se quisermos passar pelo Chile, que é muito bom", disse.

(Reportagem de Pedro Fonseca)

 
Técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, durante partida contra Camarões em Brasília. 23/06/2014. REUTERS/Michael Dalder