Rafa Márquez elogia Holanda, mas diz que México não será “vítima" nas oitavas

terça-feira, 24 de junho de 2014 10:20 BRT
 

Por Matías Martínez

RECIFE (Reuters) - O experiente zagueiro Rafael Márquez disse que a seleção mexicana respeita a Holanda, sua rival nas oitavas de final da Copa do Mundo, mas afirmou que não será uma “vítima" do time europeu, que venceu todos os jogos do torneio até agora.

Márquez foi o herói da seleção mexicana ao marcar o primeiro gol na vitória por 3 x 1 sobre a Croácia, e já soma gols em três mundiais consecutivos.

Com a vitória, o México ficou em segundo lugar do Grupo A, atrás do Brasil, que na segunda-feira goleou Camarões por 4 x 1. Agora, o México enfrenta um grande desafio: superar a Holanda, um dos melhores times do torneio.

“Respeitamos a Holanda… vamos trabalhar como temos feito. O México é uma equipe que joga em conjunto e não tem individualidades”, disse Márquez na segunda-feira a jornalistas.

“Não somos vítimas. A Holanda é uma grande seleção, mas nós também somos uma boa equipe, e será uma partida muito complicada. Nós os respeitamos, mas eles não nos assustam”, assegurou.

O conjunto europeu encerrou a primeira fase com uma campanha perfeita: três vitórias em três partidas, com 10 gols a favor e apenas três contra.

“A Holanda é uma grande equipe, isso foi visto em três partidas. É a candidata a vencer o Mundial, foi finalista do Mundial passado, mas creio que também temos armas”, disse o ex-jogador do Barcelona.

Márquez também salientou a unidade de sua equipe, que considerou como a mais compenetrada em que já atuou.

“Na verdade, nunca tinha visto uma seleção tão unida. Desde o início, tanto os diretores como o corpo técnico têm mostrado uma unidade muito importante dentro e fora de campo”, afirmou o jogador em uma coletiva de imprensa.

Márquez está disputando seu quarto Mundial, no qual buscará chegar pela primeira vez às quartas de final.

 
Jogador mexicano Rafael Marquez comemora gol marcado contra a Croácia durante partida pelo Grupo A da Copa do Mundo, na Arena Pernambuco, em Recife. 23/06/2014.  REUTERS/Paul Hanna