"Clone" de Bielsa, Sampaoli buscar vingá-lo contra o Brasil

terça-feira, 24 de junho de 2014 21:13 BRT
 

Por Luis Ampuero

BELO HORIZONTE (Reuters) - Dá um soco no ar, caminho e grita na lateral do campo, a qual abandona quando o Chile marca um gol. Em alguns momentos, Jorge Sampaoli age igual a Marcelo Bielsa, mas é muito diferente de seu mentor.

O técnico argentino da seleção chilena é um confesso admirador do estilo de jogo do "Loco" Bielsa, embora seja melhor, segundo seus próprios jogadores.

"A qualidade do grupo, a união que tem dado; seu trabalho é forte. O consideramos muito bem e os resultados estão vindo em campo", disse Arturo Vidal, a referência da seleção chilena, em conversa com jornalistas argentinos.

O Chile é uma equipe que pressiona desde o começo da partida, embora Vidal acredite que não seja igual ao conjunto dirigido por Bielsa na Copa do Mundo da África do Sul, em 2010.

"Este é o ciclo de Sampaoli. O de Bielsa terminou. Esse foi outro processo", disse o jogador da Juventus.

Como uma ironia do destino, o Chile enfrentará o Brasil nas oitavas de final, rival que o eliminou há quatro anos, também nas oitavas de final, sob o comando de Bielsa.

Para Sampaoli, tomando distância da situação, a única coisa que importa de seu próximo adversário é "saber como atacá-lo".

"O rival... vai saber que enfrentará uma equipe que vai buscar os 90 minutos. Essa é a intenção", disse Sampaoli, depois da derrota dos chilenos por 2 x 0 para a Holanda, ficando em segundo lugar do Grupo B.

Sampaoli, um técnico que muito poucos argentinos conheciam antes de triunfar na Universidad de Chile e chegar à seleção, conseguiu aplicar uma proposta de jogo dinâmica, com a pressão sobre seus rivais como primeira carta de vitória.

"Vamos atacar e da mesma forma que fizemos em todas as partidas. O estilo não vai mudar e não vamos esperar nada", disse o defensor Gonzalo Jara, pensando no confronto de sábado.

 
Técnico Sampaoli gesticula durante jogo do Chile contra a Holanda.  REUTERS/Paulo Whitaker