Presidente do Uruguai defende Suárez e diz que não viu mordida

quarta-feira, 25 de junho de 2014 21:54 BRT
 

MONTEVIDÉU (Reuters) - O presidente do Uruguai, José Mujica, defendeu o jogador Luis Suárez, que pode ser punido pela Fifa por ter mordido um adversário durante a Copa do Mundo, pois considerou que não houve nenhuma falta e que o jogador tem sido vítima de uma campanha para desprestigiá-lo.

O goleador da “Celeste” pode ser banido do torneio caso se confirme a infração durante a partida de terça-feira contra a Itália, cujo resultado de 1 x 0 em favor do Uruguai permitiu ao país sul-americano se classificar para as oitavas de final da competição, ao mesmo tempo em que despachou os italianos para casa.

“Eu não vi que ele tenha mordido alguém, mas eles acertam cada pontapé e cada pancada!”, disse o mandatário, um ex-guerrilheiro, de 79 anos, ao ser questionado por jornalistas.

“Não o escolhemos para ser filósofo, nem para mecânico, nem para que tenha bons modos; é um excelente jogador”, acrescentou ele, afirmando que há uma campanha contra o atacante, pois “não o perdoam pelos defeitos que tem”.

O capitão da seleção uruguaia, Diego Lugano, e o técnico Óscar Tabárez defenderam Suárez e criticaram a mídia internacional, especialmente a inglesa, por darem mais destaque ao incidente do que à vitória uruguaia.

“Me ensinaram que no futebol se cumpre o que manda o árbitro, e se formos tomar decisões no futebol pelo que sai na TV, tem um montão de pênaltis e mãos na bola que teriam que ser marcados e não se marcam, é um azar”, encerrou Mujica.

(Reportagem de Irene Schreiber)

 
O presidente do Uruguai, José Mujica, durante reunião com presidente norte-americano, Barack Obama, no Salão Oval da Casa Branca, em Washington, nos Estados Unidos, em maio. 12/05/2014 REUTERS/Jonathan Ernst