June 26, 2014 / 8:44 PM / 3 years ago

Mais alto, Brasil vê diferença de estatura como arma contra o Chile

4 Min, DE LEITURA

Jogadores brasileiros David Luiz (esquerda) e Thiago Silva durante partida contra Croácia na Arena Corinthians, em São Paulo. 12/6/2014Kai Pfaffenbach

TERESÓPOLIS Rio de Janeiro (Reuters) - A seleção brasileira acredita que pode levar vantagem contra o Chile nas jogadas aéreas devido à diferença de estatura entre os jogadores das duas equipes na partida de sábado, pelas oitavas de final da Copa do Mundo.

Com 1,86m, o centroavante Fred é mais alto que os três zagueiros chilenos titulares nos dois últimos jogos da equipe no Mundial: Silva (1,78m), Jara (1,77m) e Medel (1,71), e tem falado com os colegas de equipe em busca de aprimorar as jogadas de cruzamento.

"Já tenho conversado com os laterais, com os pontas, eles (chilenos) são baixos", disse Fred a repórteres nesta quinta-feira após treino do Brasil na Granja Comary, em Teresópolis (RJ).

O camisa 9 da seleção, que desencantou na Copa do Mundo na goleada por 4 x 1 sobre Camarões justamente com um gol de cabeça, disse que os chilenos compensam a baixa estatura com bom tempo de bola, mas apontou a estatura como uma vantagem dos brasileiros para a partida em Belo Horizonte.

Além dos cruzamentos de laterais e meias, o Brasil pode tirar proveito nas cobranças de faltas e escanteios, segundo Fred.

"Com essa estatura nossa a bola parada pode ser uma boa arma para a gente", afirmou.

Além do centroavante, a seleção brasileira tem outros jogadores altos que podem ser aproveitados em jogadas pelo alto. Os zagueiros David Luiz (1,89m) e Thiago Silva (1,82m) têm histórico de gols de cabeça, e o Brasil ainda pode ter contra o Chile o lateral-direito Maicon (1,86m), que treinou no lugar de Daniel Alves nesta quinta.

No decorrer da partida o técnico Luiz Felipe Scolari ainda pode optar pela entrada de Jô, centroavante de 1,91m, seja no lugar de Fred ou para atuar ao lado do camisa 9 numa formação com dois homens de área.

Apesar da vantagem na altura dos jogadores brasileiros, Felipão deixou claro que não gostaria de ter o Chile como adversário. Segundo o treinador, os chilenos têm um time organizado e de qualidade, além da "catimba" tradicional aos times sul-americanos.

Na Copa do Mundo o Chile se destacou pela velocidade do trio ofensivo Aránguiz, Vargas e Sánchez, em especial na vitória por 2 x 0 sobre a Espanha, no Maracanã.

4-4-2 Ou 3-5-2

A seleção chilena estreou no Mundial com vitória sobre a Austrália (3 x 1) jogando no 4-4-2, mas mudou a formação para 3-5-2 nos jogos contra Espanha (2 x 0) e Holanda (0 x 2) com a entrada na zaga de Silva, o mais alto dos três zagueiros.

O técnico Jorge Sampaoli ainda não confirmou a escalação para o jogo contra o Brasil.

Segundo Fred, se o Chile mantiver a formação com três zagueiros vai dificultar a marcação brasileira na saída de bola dos adversários, mas poderá facilitar a vida dos atacantes Neymar e Hulk, que teriam mais espaço para jogar atrás dos alas e ficariam no mano a mano com os zagueiros.

"Com três zagueiros eu jogo sempre em cima do jogador que está na sobra, fico mais enfiado porque sei que Neymar ou Hulk vão driblar pela força e característica, e a sobra saindo eu posso ficar sozinho", afirmou.

"A grande qualidade do Chile é a aplicação tática, a entrega nos jogos. E eles têm jogadores na frente que podem fazer a diferença", disse. "Pelo que estão apresentando na Copa acho que vão tentar atacar o Brasil também."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below