Suárez chega ao Uruguai após punição da Fifa

sexta-feira, 27 de junho de 2014 11:33 BRT
 

Por Malena Castaldi

MONTEVIDÉU (Reuters) - O atacante uruguaio Luis Suárez chegou nesta sexta-feira a Montevidéu e foi recebido pelo presidente do Uruguai, José Mujica, depois de ser cortado da Copa do Mundo e suspenso do futebol por quatro meses por ter mordido o zagueiro italiano Giorgio Chiellini durante partida pelo Grupo D.

O jogador viajou de Natal, onde recibeu a notícia das penalidades da Fifa, com sua família e chegou à capital uruguaia por volta das 5h (hora local) e foi diretamente para casa sem fazer declarações.

Mujica havia se juntado às centenas de fãs que foram ao aeroporto na quinta à noite para demonstrar apoio a Suárez, mas que acabaram deixando o local algumas horas depois de saberem que ele ainda não havia deixado o Brasil.

Após a chegada nesta sexta, Suárez, sua mulher e outro membro da família se dirigiram para Solymar, uma pequena cidade na costa.

O presidente e os torcedores foram embora do aeroporto na quinta, quando foram informados por meio da Associação Uruguaia de Futebol que o voo do jogador estava atrasado, mas Mujica voltou na madrugada para cumprimentá-lo na chegada.

"(Suárez) chegou ao aeroporto de Carrasco em um voo privado, que inicialmente estava previsto para a noite de quinta-feira e desembarcou na plataforma militar", disse à Reuters o coronel Álvaro Loureiro, chefe de Relações Públicas da Força Aérea do Uruguai.

"O presidente Mujica lhe deu as boas-vindas na Base Militar, foi um cumprimento muito breve", acrescentou Loureiro.

A Fifa anunciou na quinta-feira a suspensão de Suárez por nove jogos e determinou que não poderá participar de nenhuma atividade vinculada ao esporte nos próximos quatro meses por morder o zagueiro italiano Giorgio Chiellini, quase no fim do jogo em que o Uruguai derrotou a Itália e passou para as oitavas de final.

Além disso, o atacante recebeu multa de 100 mil francos suíço (111 mil dólares).

 
Torcedores se reúnem no aeroporto de Carrasco, em Montevidéu, para prestar solidariedade ao jogador uruguaio Luis Suárez. 26/6/2014  REUTERS/Carlos Pazos