Emoção pesou no veredicto de Suárez, diz federação de jogadores

sexta-feira, 27 de junho de 2014 14:18 BRT
 

Por Patrick Johnston

BRASÍLIA (Reuters) - A emoção se fez presente na decisão da Fifa de punir o atacante uruguaio Luis Suárez por morder o ombro de Giorgio Chiellini com quatro meses de suspensão, e um período de reflexão se faz necessário, declarou a Federação Internacional dos Jogadores Profissionais de Futebol (FIFPro, na sigla em francês).

Suárez recebeu a maior sanção imposta em uma Copa pela Fifa na quinta-feira –a suspensão de todas as atividades relacionadas ao futebol durante nove meses e de nove partidas internacionais, além de uma multa de 111 mil dólares– depois de morder o zagueiro italiano na vitória uruguaia de 1 x 0 sobre a Itália no Grupo D na terça-feira.

“A FIFPro acredita que todas as partes afetadas podem se beneficiar de mais tempo para vencer a emoção, refletir e restabelecer os fatos em um ambiente calmo e ponderado”, afirmou a entidade em um comunicado enviado à Reuters nesta sexta-feira.

Enquanto o restante de seus companheiros continuou os preparativos para as oitavas de final contra a Colômbia no sábado, Suárez voltou ao Uruguai nesta sexta-feira e foi recebido pelo presidente, José Mujica, e centenas de torcedores na Base Militar de Montevidéu.

A FIFPro disse que a penalidade deveria ter incluído ajuda ao atacante do Liverpool, que já foi punido outras duas vezes por morder adversários quando jogou na Inglaterra e na Holanda.

"Luis Suárez merece todo o apoio de que precisa, incluindo apoio legal na apelação, para conseguir uma redução nas sanções”, declarou o organismo.

“O fato de que Suárez está proibido de trabalhar durante um longo período deve ser abordado, já que infringe diretamente seu direito de trabalhar. O fato de que o Liverpool será afetado também deve ser um tópico importante”, disse.

“Isso significa que o foco deve ser a reabilitação e o tratamento sério do jogador. A FIFPro acredita que o tratamento deve ser parte de qualquer sanção.”

 
Pintura retratando o atacante uruguaio Luis Suárez na praia de Copacabana, Rio de Janeiro. 27/6/2014 REUTERS/Pilar Olivares