São Paulo abre sambódromo para abrigar torcedores argentinos

sexta-feira, 27 de junho de 2014 20:11 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A cidade de São Paulo está abrindo as portas de seu sambódromo para abrigar uma enxurrada de torcedores argentinos, estimada em mais de 70 mil pessoas, neste fim de semana para acompanhar a partida de terça-feira.

Ao revelar, nesta sexta-feira, o planejamento para a invasão argentina, as autoridades de São Paulo pediram aos visitantes que acampem nas áreas designadas e fiquem longe do estádio caso não tenham ingressos.

Caravanas de carros, caminhões e trailers argentinos percorreram milhares de quilômetros até a praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, há duas semanas, e a multidão só faz crescer com o avanço do torneio que dura um mês.

Dezenas de milhares de argentinos também atravessaram a fronteira brasileira em direção a Porto Alegre esta semana. Algumas dezenas deles foram presos roubando ingressos antes da partida de quarta-feira e um torcedor argentino foi baleado em uma briga de bar, levantando preocupações sobre possíveis confrontos se a Argentina jogar contra o Brasil no torneio.

O Brasil já impediu mais de 30 argentinos de entrarem no país por envolvimento em violência no campeonato argentino.

Para o jogo de terça-feira entre Argentina e Suíça, as autoridades paulistas minimizaram as preocupações de segurança, tendo como base o histórico de quatro partidas do Mundial já conduzidas sem maiores problemas.

“A principal dúvida no caso da Argentina é a quantidade de torcedores, muitos dos quais não tem ingressos para o jogo”, disse o porta-voz da prefeitura Leonardo Barchini. Ele sugeriu que os visitantes assistam ao jogo em bares. Uma festa oficial montada pela Fifa com telões no centro da cidade tem sofrido com a superlotação durante alguns jogos.

O autódromo Interlagos, na região sul de São Paulo, também vai servir como área de acampamento para os argentinos durante o fim de semana.

(Reportagem de Caroline Stauffer)

 
Torcedor argentino antes da partida Argentina x  Irã no Mineirão. 21/06/2014 REUTERS/Sergio Perez