Pausa para água funciona bem com mudança tática para os holandeses

domingo, 29 de junho de 2014 19:33 BRT
 

Por Elzio Barreto

FORTALEZA (Reuters) - O técnico holandês Louis van Gaal aproveitou bem a parada técnica para hidratação, a primeira oficial desta Copa do Mundo, para mexer na parte tática de sua equipe e conseguir uma vitória no final da partida contra o México neste domingo.

Ele utilizou o curto intervalo no segundo tempo -concedido por causa da temperatura no estádio, que girava em torno de 35 graus- para mudar sua formação, e os holandeses, que perdiam a partida por 1 x 0, conseguiram reverter o placar. 

“Primeiro eu mudei para um 4-3-3 e então criamos muitas oportunidades, conseguimos um chute na trave e uma excelente defesa do (goleiro do México) Guillermo Ochoa", afirmou. "Então eu fui para o plano B, e sim, eu fiz isso na parada técnica. É um jeito inteligente de se beneficiar destas paradas", afirmou a jornalistas.

A parada técnica para hidratação só é permitida quando a temperatura no estádio for superior a 32 graus, e é decidida pelos médicos da Fifa. Ela é pré-combinada entre árbitros e equipes.

Van Gaal admitiu que foi uma saída de sorte para a sua equipe, que passou por muito pouco contra o México, mas reconheceu sua preparação e a de seus jogadores para as mudanças táticas. 

“Eles tiveram fé, e acreditaram até o final", afirmou. "A umidade não estava a nosso favor. Mas estávamos mais descansados e mais preparados que os mexicanos", disse. "Meus jogadores não só acreditaram que conseguiriam jogar, eles estavam em forma para a partida", afirmou.

“Sim, foi uma saída, mas no segundo tempo nós mostramos que podíamos criar mais oportunidades, e jogamos em três sistemas diferentes", disse.

A seleção holandesa começou com a discutida formação em 3-5-2, mas depois de sofrer um gol no início do segundo tempo mudou para o 4-3-3 com Arjen Robben aberto pela direita, o reserva Memphis Depay na esquerda e Robin van Persie no meio do ataque.    Continuação...

 
Técnico da Holanda Louis van Gaal durante partida contra o México na Arena Castelão, em Fortaleza.  29/6/2014. REUTERS/Dominic Ebenbichler