30 de Junho de 2014 / às 16:03 / 3 anos atrás

Robben diz que se jogou, mas não em pênalti decisivo

Arjen Robben cai no gramado durante partida contra o México em Fortaleza.Mike Blake

SALVADOR (Reuters) - O meia-atacante da seleção da Holanda Arjen Robben declarou que o polêmico pênalti que sofreu na prorrogação contra o México, e que garantiu a vitória nas oitavas de final de domingo, foi legítimo, mas admitiu que se jogou em um lance anterior na área dos adversários.

A federação holandesa emitiu um comunicado nesta segunda-feira buscando esclarecer a interpretação da mídia das declarações de Robben à TV holandesa após a partida, quando ele debateu a marcação da penalidade graças à qual os holandeses venceram por 2 x 1 na Arena Castelão.

Várias reportagens relataram erroneamente que Robben confessou ter cavado o pênalti que levou à classificação.

“Na verdade, Robben se desculpou por tentar conseguir um pênalti no primeiro tempo, quando caiu cedo demais”, afirmou o comunicado, divulgado pelo canal de televisão NOS.

“Foi um gesto idiota”, disse Robben. “Quero me desculpar. Realmente foi uma idiotice."

Segundo a declaração, Robben teria dito que a decisão de conceder o pênalti no final do jogo, quando ele caiu após uma dividida com o capitão mexicano, Rafael Márquez, foi correta.

Na entrevista à TV, Robben ainda argumenta que sofreu duas outras penalidades antes do intervalo.

“Ele me acertou na canela e acabou saindo contundido ele mesmo”, disse Robben a respeito de Héctor Moreno, que pode ter quebrado a perna no incidente.

“Fui atingido de novo, e se aquilo não foi um pênalti, não sei o que é”, afirmou o meia-atacante.

A Fifa disse que não irá agir contra Robben pela primeira tentativa de cavar a falta.

“Pedimos aos jogadores para jogarem no espírito do fair play, e cabe aos árbitros administrar a partida em todos os setores”, declarou uma porta-voz da Fifa nesta segunda-feira.

Revoltado, o técnico do México, Miguel Herrera, acusou Robben de se atirar três vezes e disse que ele deveria ter sido expulso.

"Se o árbitro fosse justo, o segundo gol deles não existiria, porque Arjen Robben teria sido expulso por um segundo cartão amarelo. Mas se você não o pune após o primeiro, o jogador sabe que vai livrar a cara”, declarou ele na coletiva de imprensa pós-jogo.

Reportagem adicional de William Schomberg no Rio de Janeiro

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below