Meticuloso, técnico da Costa Rica já planeja tática contra Holanda

segunda-feira, 30 de junho de 2014 19:34 BRT
 

Por Toby Davis

RECIFE (Reuters) - Organização, preparação e desejo. O que pode ser um simples mantra é o que move a seleção da Costa Rica nas quartas de final da Copa do Mundo.

A vitória por pênaltis frente à Grécia, depois de jogar quase uma hora com 10 homens, colocou o país centro-americano pela primeira vez nas quartas de final de um Mundial, e agora enfrentará a poderosa Holanda.

Após ficar em primeiro lugar em um grupo que incluía três campeões mundiais, Itália, Uruguai e Inglaterra, a equipe de Jorge Luis Pinto segue demonstrando que um sólido trabalho em equipe, construído sobre a base de uma preparação meticulosa, pode ajudar a vencer os mais poderosos.

A seleção dos "ticos" não apenas conta com Keylor Navas, um dos melhores goleiros do torneio, como também um técnico astuto e trabalhador como Pinto, que não deixa nada à sorte, incluindo em cobrança de pênaltis.

"Temos tudo analisado. Sabíamos quem ia cobrar os pênaltis. Sabíamos antes da partida quem seria o primeiro, o segundo, o terceiro", disse.

"Temos uma estrutura muito bem estabelecida, todo mundo sabe o que tem que fazer e o que é útil... se está preparado, joga melhor e aprende mais rápido", acrescentou.

A chave do êxito da Costa Rica neste Mundial tem sido um grande sistema tático que deu solidez ao bloqueio defensivo. Isso lhe permitiu tomar apenas um gol de jogadas contínuas em suas quatro partidas neste Mundial.

Neste sentido, o papel do meia Celso Borges, um verdadeiro escudo para os zagueiros, é muito importante.   Continuação...