Obrigado a mudar, Felipão pode buscar alternativa para problema na armação

segunda-feira, 30 de junho de 2014 20:48 BRT
 

Por Pedro Fonseca

TERESÓPOLIS Rio de Janeiro (Reuters) - Forçado pela suspensão de Luiz Gustavo a mudar a equipe, o técnico Luiz Felipe Scolari terá a oportunidade contra a Colômbia de buscar alternativas para a falta de criatividade do setor ofensivo do Brasil quando Neymar não brilha, algo que o treinador ainda não fez desde o início da preparação para a Copa do Mundo.

Felipão começará a montar o time para o duelo contra os colombianos na terça-feira, quando comandará o primeiro treino da equipe no centro de treinamentos da Granja Comary, em Teresópolis (RJ), após a vitória nos pênaltis sobre o Chile. Até agora o técnico não testou nenhuma variação tática à formação com três meias e um atacante.

Fernandinho, que jogou as últimas partidas como segundo volante ao lado de Luiz Gustavo, deve retornar à sua posição de origem como primeiro volante, abrindo espaço para Felipão possivelmente aumentar a produtividade ofensiva do time, um dos principais problemas até agora no Mundial.

Ramires e Hernanes são dois jogadores de bom potencial no meio-campo que poderiam entrar no time, ajudando Oscar, Neymar e Hulk na criação de jogadas e possivelmente fazendo Fred participar mais do jogo.

"Ainda não estamos em sintonia. Do meu modo de ver está um time muito fácil de ser marcado. Estamos batendo cabeça, as vezes o Daniel Alves tenta chegar e não consegue, o Hulk fica muito aberto, o Fred sofrendo muito sozinho", disse o ex-atacante Careca, centroavante do Brasil nas Copas de 1986 e 1990, durante visita nesta segunda-feira à Granja Comary levado por uma emissora de TV japonesa.

"Falta pôr o Fred no jogo, procurar ele, fazer um-dois, às vezes você fica fora da partida 5, 10 minutos e isso irrita. Não está tendo movimentação, você não vê uma jogada. Só tem um atacante, porque Hulk e Neymar não são atacantes", acrescentou.

Tornar o time mais ofensivo contra a Colômbia, uma equipe que tem se destacado na Copa do Mundo justamente por jogar visando o ataque e pela qualidade do meia-atacante James Rodríguez, é apenas uma das opções do treinador, que pode simplesmente manter o time com a mesma tática trocando apenas de peças ou até mesmo reforçar o sistema defensivo.

A entrada de Paulinho como segundo jogador de marcação manteria o time com dois volantes, e Felipão ainda pode recorrer ao que fez na conquista do pentacampeonato mundial em 2002, colocando Dante ou Henrique como um terceiro zagueiro. Essa opção teria como principal justificativa o poder ofensivo da Colômbia, que tem o segundo melhor ataque da Copa com 11 gols em 4 jogos. Como comparação, o Brasil fez 8 gols no mesmo número de partidas.   Continuação...

 
Técnico Felipão comanda treino do Brasil nesta segunda-feira.  REUTERS/Marcelo Regua