CURTAS-Comissão técnica do Brasil diz que integrantes foram xingados por chilenos

terça-feira, 1 de julho de 2014 18:34 BRT
 

Por Pedro Fonseca e Rodrigo Viga Gaier

TERESÓPOLIS Rio de Janeiro (Reuters) - A seleção brasileira pretende utilizar em sua defesa no caso envolvendo o assessor de imprensa Rodrigo Paiva e o jogador chileno Mauricio Pinilla um vídeo em que integrantes da seleção do Chile teriam xingado o preparador físico Paulo Paixão e o massagista Deni no intervalo do jogo no Mineirão.

Paiva foi suspenso preventivamente pela Fifa por um jogo após ter sido expulso no intervalo da partida pela confusão. O brasileiro alega que empurrou Pinilla após ser agredido pelo jogador chileno no meio de uma grande confusão ocorrida a caminho dos vestiários no intervalo do jogo.

O departamento jurídico da CBF foi acionado para buscar imagens de câmeras internas do Mineirão instaladas no túnel que liga o campo aos vestiários do estádio para serem usadas em defesa de Paiva. O caso está sendo avaliado pela comissão disciplinar da Fifa e a suspensão ao brasileiro pode ser ampliada.

"INJUSTIÇA"

Paiva considera que todo o incidente envolvendo Brasil e Chile no intervalo do jogo em Belo Horizonte começou bem antes, quando ele se pronunciou de forma oficial numa entrevista coletiva na véspera da partida dizendo que os chilenos estavam desrespeitando o povo brasileiro ao colocar dúvida a lisura da arbitragem nos jogos do Brasil na Copa.

"Se mantiverem a suspensão vai ser a maior injustiça da Copa”, disse o assessor da seleção, que também é o diretor de comunicação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

  Continuação...

 
Assessor de imprensa da seleção, Rodrigo Paiva, durante entrevista à imprensa na Granja Comary, em Teresópolis. 30/6/2014. REUTERS/Marcelo Regua