1 de Julho de 2014 / às 22:19 / 3 anos atrás

França deve afinar ataque e ganhar velocidade contra Alemanha

Jogadores da seleção da França treinam em Ribeirão Preto. 01/07/2014.Charles Platiau

BELO HORIZONTE (Reuters) - A França deu a volta por cima após seu péssimo desempenho há quatro anos e conseguiu avançar para as quartas de final da Copa do Mundo, onde enfrentará a Alemanha, mas eles precisam melhorar suas habilidades de ataque se quiserem ameaçar os tricampeões do mundo.

Os franceses restauraram totalmente sua imagem após o motim dos jogadores na África do Sul, acompanhando de uma saída constrangedora na primeira fase do torneio, mas sua trabalhosa vitória por 2 x 0 sobre a Nigéria na segunda-feira mostrou que eles ainda têm trabalho a fazer.

Os franceses controlaram o tempo de jogo, mas tiveram que esperar até os 34 minutos do segundo tempo antes de finalmente abrirem a defesa da Nigéria.

"Nós jogamos uma boa partida, mas ainda há espaço para melhorias", disse o meia-atacante Antoine Griezmann, cuja participação oportuna foi saudada como o necessário para reavivar a França.

"Eu já disse isso muitas vezes. Quando o técnico me der uma chance, vou tentar tirar o maior proveito disso."

Sem dúvida, o técnico Didier Deschamps vai utilizar o talentoso jogador de 23 anos em breve novamente, à medida que os campeões mundiais voltam à elite do futebol.

Se houve um jogo nesta Copa do Mundo, no entanto, onde a França realmente pareceu sentir falta de Franck Ribéry, contundido, foi no jogo contra os campeões africanos.

Olivier Giroud recebeu bastante crédito por fazer o trabalho pesado no centro do ataque, mantendo a posse de bola e subindo para disputar as bolas com os defensores da Nigéria.

Mas foi a ausência das rápidas corridas e dribles rápidos de Ribéry que eles mais precisavam, e somente a entrada do veloz Griezmann mudou a partida.

Sua presença permitiu que Karim Benzema se movimentasse em seu papel no centro do campo, deixando Griezmann incomodando os nigerianos pelos lados.

A defesa da Alemanha é lenta e sujeita a erros, e seus laterais --Jérôme Boateng e Benedikt Hoewedes-- são mais utilizados como zagueiros e estão improvisados na posição.

Isso pode dar a Mathieu Valbuena e, potencialmente, ao próprio Griezmann a vantagem de atuar pelas laterais, permitindo mais cruzamentos dentro da área alemã, algo que se provou traiçoeiro para o time de Joachim Loew.

Por Karolos Grohmann

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below