1 de Julho de 2014 / às 22:54 / 3 anos atrás

Bélgica bate EUA na prorrogação por 2 x 1 e avança para quartas de final

Jogadores belgas Romelu Lukaku e Kevin De Bruyne (direita) celebram gol em partida contra EUA,a na Arena Fonte Nova, em Salvador. 1/7/2014Marcos Brindicci

SALVADOR (Reuters) - A Bélgica finalmente encontrou uma forma de superar o inspirado goleiro Tim Howard, dos Estados Unidos, com gols na prorrogação de Kevin De Bruyne e Romelu Lukaku, que deram a vitória por 2 x 1 nesta terça-feira e colocaram a equipe europeia nas quartas de final contra a Argentina.

Howard atuou de forma espetacular desde o primeiro minuto de jogo quando ele impediu que Sivock Origi marcasse e fez uma série de excelentes defesas.

Origi também mandou uma bola no travessão antes que Chris Wondolowski, que saiu do banco de reservas dos EUA, perdesse uma grande chance de fazer o gol da vitória nos acréscimos ao mandar uma bola cara a cara com o goleiro por cima do gol.

A Bélgica colocou Lukaku em campo para a prorrogação e ele teve impacto imediato ao escapar pela direita e passar para De Bruyne, que mostrou controle de bola e finalizou para o gol aos três minutos de prorrogação.

De Bruyne retribuiu o favor ao fazer a jogada do gol de Lukaku, o segundo da Bélgica, aos 15 minutos do primeiro tempo da prorrogação e, embora Julian Green, um adolescente que saiu do banco de reservas norte-americano, tenha diminuído a desvantagem dois minutos depois, a Bélgica segurou o placar para ir às quartas e garantir que todas as seleções que venceram seus grupos na primeira fase passassem pelas oitavas.

"Tivemos cerca de 15 chances, estávamos controlando o jogo e acredito que é merecido que, no final, tenhamos feito um (gol)", disse o técnico da Bélgica, Marc Wilmots, a repórteres.

"Meus jogadores chegaram a seus limites para se qualificar. Eu disse que ter pernas renovadas seria importante hoje e é isso que aconteceu. Agora toda a Bélgica pode celebrar."

As coisas poderiam ter sido diferentes quando os belgas deixaram o substituto dos EUA Chris Wondolowski livre na cara do gol nos últimos segundos do jogo, mas ele chutou horrivelmente a bola para fora.

"Foi desolador. Fizemos nosso melhor mas perdemos para um time realmente bom. Isso magoa, mas meus parabéns para a Bélgica, eles foram fantásticos", disse Howard em uma entrevista à televisão.

A Bélgica dominou a posse de bola durante todo o jogo e ofereceu mais perigo à medida que os EUA foram forçados a montar sua defesa bem na grande área, procurando avançar apenas nos contra-ataques.

Tradução Redação Rio de Janeiro 55 21 22237149 REUTERS SPA ES

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below