Desempenho de argentino Rojo silencia críticos de sua escolha para seleção

quarta-feira, 2 de julho de 2014 13:11 BRT
 

Por Javier Leira

SÃO PAULO (Reuters) - Para o lateral-esquerdo argentino Marcos Rojo, perder a quarta de final da Copa do Mundo contra a Bélgica por causa de uma suspensão é algo que vem na pior hora.

As sólidas atuações de Rojo no Brasil silenciaram seus detratores na Argentina, muitos dos quais o classificavam como o elo fraco na defesa, enquanto oferecia pouco potencial ofensivo.

Até agora ele esteve em campo em 375 minutos dos 390 jogados pela Argentina, acertou 73 por cento de seus passes e marcou seu primeiro gol pela seleção na vitória por 3 x 2 sobre a Nigéria, ainda na fase de grupos.

"Graças a Deus as pessoas agora demonstram algum apreço por Marcos, ele merece", disse o companheiro de equipe Sergio Romero à Reuters após a vitória dos argentinos sobre a Suíça nas oitavas de final.

"Ele é um jogador forte. Vai e volta, acima e abaixo no campo. Ele defende, então ataca, até marcou um gol. Ele nunca desistiu e tem mostra que ele é bom o bastante para jogar na seleção nacional", acrescentou Romero.

Rojo, hoje no clube português Sporting, venceu a Copa Libertadores jogando pelo Estudiantes, treinado pelo atual técnico da seleção Alejandro Sabella.

Sabella se ateve a Rojo apesar dos pedidos para não levá-lo ao Brasil, e o técnico era só elogios ao jogador de 24 anos na terça-feira.

"Rojo jogou muito bem. Estou feliz por ele porque o trataram muito mal e ele não merecia", disse ele.

Um segundo cartão amarelo recebido durante a vitória para a Suíça nas oitavas provocou a suspensão de Rojo para a partida de quartas de final contra a Bélgica no sábado.

José Basante, que substituiu Rojo na prorrogação contra a Suíça, pode ser escolhido para começar a partida contra a Bélgica. A outra opção seria Martin Demichelis.

 
Marcos Rojo, da Argentina, disputa bola com Gelson Fernandes, da Suíça, durante partida na Arena Corinthians, em São Paulo. 1/6/2014 REUTERS/Paulo Whitaker