Argentina agradece 'trave de Deus' e se prepara para Bélgica

quarta-feira, 2 de julho de 2014 15:21 BRT
 

BELO HORIZONTE (Reuters) - A Argentina agradeceu todos os santos e a “trave de Deus” por passar por pouco pelas quartas de final da Copa do Mundo, e começou a se preparar nesta quarta-feira para o embate do final de semana com a Bélgica.

A seleção voou direto para sua concentração em Belo Horizonte depois de derrotar a Suíça na terça-feira na Arena Corinthians com um gol de Ángel Di Maria a dois minutos do fim da prorrogação.

Depois de um desempenho argentino sofrível, os suíços quase empataram nos momentos finais, quando o reserva Blerim Dzemaili cabeceou uma bola na trave.

Parte de mídia apelidou o acontecimento como “a trave de Deus”, uma referência ao famoso gol de mão do argentino Maradona na Inglaterra no Mundial de 1986, então chamado de “a mão de Deus”.

“A sorte escolheu um time que, sozinho, não estava à altura da tarefa”, escreveu aliviado o colunista Cristian Grosso, do jornal argentino La Nación.

Já o diário Clarín batizou Di Maria como novo “anjo da guarda” da nação em um trocadilho com seu primeiro nome.

Refletindo a tensão extraordinária e o desespero por um terceiro título mundial, um locutor de rádio caiu em prantos no ar quando a Argentina marcou.

Mais tarde, no vestiário, os jogadores dançaram e cantaram canções dos torcedores, como se tivessem conquistado o troféu.

O capitão, Lionel Messi, admitiu que o time teve sorte diante de uma Suíça que muitos esperavam desmoronar à frente dos craques argentinos e de seu intimidante ataque com três homens.   Continuação...

 
Jogador da Suíça Blerim Dzemaili (centro) acerta trave em jogo contra Argentina na Arena Corinthians, em São Paulo. REUTERS/Pawel Kopczynski