2 de Julho de 2014 / às 18:23 / em 3 anos

Argentina agradece 'trave de Deus' e se prepara para Bélgica

BELO HORIZONTE (Reuters) - A Argentina agradeceu todos os santos e a “trave de Deus” por passar por pouco pelas quartas de final da Copa do Mundo, e começou a se preparar nesta quarta-feira para o embate do final de semana com a Bélgica.

Jogador da Suíça Blerim Dzemaili (centro) acerta trave em jogo contra Argentina na Arena Corinthians, em São Paulo. REUTERS/Pawel Kopczynski

A seleção voou direto para sua concentração em Belo Horizonte depois de derrotar a Suíça na terça-feira na Arena Corinthians com um gol de Ángel Di Maria a dois minutos do fim da prorrogação.

Depois de um desempenho argentino sofrível, os suíços quase empataram nos momentos finais, quando o reserva Blerim Dzemaili cabeceou uma bola na trave.

Parte de mídia apelidou o acontecimento como “a trave de Deus”, uma referência ao famoso gol de mão do argentino Maradona na Inglaterra no Mundial de 1986, então chamado de “a mão de Deus”.

“A sorte escolheu um time que, sozinho, não estava à altura da tarefa”, escreveu aliviado o colunista Cristian Grosso, do jornal argentino La Nación.

Já o diário Clarín batizou Di Maria como novo “anjo da guarda” da nação em um trocadilho com seu primeiro nome.

Refletindo a tensão extraordinária e o desespero por um terceiro título mundial, um locutor de rádio caiu em prantos no ar quando a Argentina marcou.

Mais tarde, no vestiário, os jogadores dançaram e cantaram canções dos torcedores, como se tivessem conquistado o troféu.

O capitão, Lionel Messi, admitiu que o time teve sorte diante de uma Suíça que muitos esperavam desmoronar à frente dos craques argentinos e de seu intimidante ataque com três homens.

“Não tenho certeza se foi merecido ou não. O importante é que passamos”, reconheceu Messi. “A sorte está do nosso lado”.

A Bélgica, que também precisou da prorrogação para derrotar os Estados Unidos por 2 x 1, certamente tomou nota da incapacidade argentina de converter a posse de bola em gols e de seu nervosismo na defesa.

Os dois times se enfrentam em Brasília no sábado, e parece que a Argentina continuará sem a presença do atacante Sergio Aguero, ainda contundido.

Os argentinos devem informar a situação de Aguero após o treino da tarde desta quarta-feira. Messi e Aguero adoram jogar juntos, e seu brilho e sua intuição fizeram falta contra os suíços.

O técnico Alejandro Sabella, entretanto, defendeu suas escolhas em um torneio no qual poucos dos favoritos conseguiram facilmente passar por cima de adversários supostamente mais fracos.

“Normalmente tenho muita auto-crítica. Às vezes prefiro fazê-la diante do time, às vezes diante de vocês, mas acredito que o time jogou bem”, disse ele aos repórteres.

“Tenho que cumprimentar os jogadores, não tenho críticas a eles ou a mim mesmo, embora sempre haja coisas a melhorar”.

Reportagem adicional de Marcelo Androetto

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below