Goleiros roubam o show no Mundial apesar de enxurrada de gols

quinta-feira, 3 de julho de 2014 14:41 BRT
 

Por Karolos Grohmann

BELO HORIZONTE (Reuters) - Os torcedores de todo o mundo têm comemorado a grande quantidade de gols na Copa do Mundo no Brasil, mas são os goleiros, e não os atacantes, quem têm merecido mais manchetes no torneio durante a fase de mata-mata.

Em um Mundial que bem antes das quartas de final já tinha ultrapassado e muito os 145 gols da Copa da África do Sul em 2010, os goleiros têm roubado o show com uma série de desempenhos brilhantes.

Um indício de sua qualidade é o fato de que, quando a Argélia perdeu de 2 x 1 para a Alemanha na prorrogação, o goleiro argelino Rais Mbolhi foi eleito o jogador da partida, apesar da eliminação de sua seleção.

Até a Alemanha marcar seu primeiro gol no início do tempo extra, ele deteve sozinho os tricampeões, frustrando seus ataques com defesas soberbas que deram esperanças aos norte-africanos até o fim.

No mesmo jogo, o alemão Manuel Neuer deu uma aula de goleiro, saindo da área em boa parte do jogo para anular o perigo quando sua zaga era pega desprevenida.

Neuer minimizou seu desempenho depois da partida. “Sempre jogo assim, inclusive no Bayern de Munique”.

Mas analisando seu posicionamento durante o jogo, Neuer, que já atuou na linha quando jovem e participa do bate-bola nos treinos, atuou bastante fora da área. Ele chegou a alcançar 22,4 quilômetros por hora quando disparou para deter um atacante argelino.

Por isso não foi surpresa que, nas oitavas de final, cinco dos melhores jogadores em campo foram goleiros.   Continuação...

 
Goleiro dos EUA, Tim Howard, salva gol em partida contra Bélgica, na Arena Fonte Nova, Salvador/ 1/7/2014 REUTERS/Ruben Sprich