Ser emotivo me ajuda, garante Thiago Silva

quinta-feira, 3 de julho de 2014 17:33 BRT
 

Por Pedro Fonseca

FORTALEZA (Reuters) - O capitão da seleção brasileira, Thiago Silva, que teve uma crise de choro antes da disputa de pênaltis contra o Chile, disse nesta quinta-feira que ser emotivo é uma característica que o ajuda dentro de campo, apesar de ter pedido para não cobrar pênalti contra os chilenos por falta de confiança.

O zagueiro de 29 anos, em suas primeiras declarações desde que contou depois do jogo que pediu ao técnico Luiz Felipe Scolari para ser o último cobrador do Brasil no duelo das oitavas de final, reconheceu que sofreu uma "descarga emocional" na partida contra o Chile devido à pressão para não ser eliminado em casa e pela entrega dentro de campo.

"Eu tenho um caráter dessa maneira, sou muito emotivo, me emociono, é uma coisa natural do ser humano a emoção. As pessoas estão falando um pouco de bobagem que pode atrapalhar, muito pelo contrário, para mim ajuda", afirmou Thiago Silva em entrevista coletiva no estádio Castelão, local da partida do Brasil contra a Colômbia, na sexta-feira, pelas quartas de final da Copa do Mundo.

"Quando a gente se entrega por aquilo que ama fazer, o que eu tive foi descarregar. A pressão era muito forte para ganhar aquele jogo, se você perde volta para casa. A descarga emocional que tive foi por causa disso, eu me entrego com corpo e alma", acrescentou.

O choro do capitão antes da cobrança de pênalti, aliado ao pedido para não bater pênalti, despertaram preocupações sobre o estado emocional dos jogadores da seleção brasileira diante da pressão de jogar uma Copa do Mundo em casa.

Outros atletas importantes do grupo, como Neymar e o goleiro Julio Cesar, também choraram depois que o Brasil venceu o Chile nos pênaltis e se classificou para as quartas de final.

Depois do jogo, a psicóloga Regina Brandão, que trabalha com Felipão, esteve no centro de treinamento da Granja Comary para uma reunião com os atletas, mas Felipão garantiu que a visita não teve qualquer relação com o comportamento dos jogadores na partida com o Chile.

"Parem de achar que ela (Regina) vai lá só em determinada hora, está tudo cronometrado e organizado. Nós vamos passar e ela vai lá de novo", disse Felipão na entrevista ao lado do capitão, já adiantando uma nova reunião dos jogadores com a psicóloga se o Brasil vencer a Colômbia.   Continuação...

 
Thiago Silva (D) comemora vitória do Brasil sobre Chile nos pênaltis.      REUTERS/Eric Gaillard