4 de Julho de 2014 / às 00:32 / em 3 anos

“Maré amarela” colombiana não quer se render à maioria brasileira no Mundial

FORTALEZA (Reuters) - A seleção da Colômbia tem recebido um grande apoio de seus torcedores no Brasil, somente superada pelos brasileiros, e, ainda que fiquem em desvantagem na sexta-feira em Fortaleza, os torcedores colombianos que forem ao estádio vão dar de tudo para que os jogadores não se sintam visitantes.

Milhares de espectadores prestigiaram a Colômbia em cada uma de suas quatro partidas anteriores, mas o número vai cair drasticamente no duelo contra os brasileiros pelas quartas de final da competição.

O ambiente em Fortaleza não parece tão colombiano como visto nas partidas do time em Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá e Rio de Janeiro, mas os torcedores esperam ainda assim que “a festa seja colombiana, porque vamos festejar contra o Brasil”, disse Rodrigo Martínez, torcedor que mostrava orgulhoso seu ingresso para a partida, comprado por 1,2 mil dólares.

Em um Mundial marcado pela presença de torcedores sul-americanos, a “maré amarela” colombiana tem se destacado nas arquibancadas, quase tanto quanto os jogadores do técnico José Pekerman em campo.

“Viemos preparados para a primeira fase e as oitavas, mas agora tivemos que ficar até as quartas e tomara que por todo o Mundial”, afirmou Carlos Pérez, um torcedor colombiano de chegou a Fortaleza via terrestre, desde Natal.

Os torcedores colombianos não poderão manter a supremacia demonstrada até agora, quando sua equipe entrar em campo em Fortaleza, já que enfrentam o Brasil, cujos torcedores vão lotar os assentos, deixando apenas cerca de 8 mil lugares disponíveis.

“Essa seleção nos deu muito, James (Rodríguez) está em grande forma e agora queremos dar uma grande surpresa contra o Brasil, mas se não der, aplaudiremos essa grande atuação”, disse Carolina, esposa de Carlos.

O casal colombiano esteve nas quatro partidas de sua seleção e agora chegou a Fortaleza para o quinto jogo.

Mas a emoção não será sentida somente em Fortaleza, já que o governo da Colômbia vai dispensar mais de 500 mil funcionários públicos durante a tarde de sexta para assistirem à partida contra o Brasil, uma medida que vai se estender aos milhões de empregados do setor privado.

O jogo de sexta-feira vai dominar as atenções da maioria da população colombiana de 47 milhões de pessoas.

”Vamos modificar os horários para que todos possam ver a partida”, disse o presidente Juan Manuel Santos, que vem ao Brasil para assistir ao jogo e apoiar a equipe de Pekerman.

Reportagem adicional de Luis Jaime Acosta, em Bogotá

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below