Felipão elogia dupla Paulinho e Fernandinho, mas aguardará para definir time

sexta-feira, 4 de julho de 2014 21:29 BRT
 

FORTALEZA (Reuters) - O técnico Luiz Felipe Scolari elogiou a atuação da dupla de volantes Paulinho e Fernandinho na vitória por 2 x 1 sobre a Colômbia, que deu ao Brasil a vaga para enfrentar a Alemanha na semifinal da Copa do Mundo.

O treinador teve de colocar Paulinho, que havia perdido a vaga para Ferrnandinho, novamente na equipe por conta da suspensão de Luiz Gustavo, que atuou bem nas quatro primeiras partidas do Brasil no Mundial.

A troca forçada, no entanto, agradou o treinador, que rasgou elogios ao seu meio-campo, setor do time mais criticado até então, na entrevista coletiva após a seleção eliminar os colombianos em Fortaleza.

"Quando entrou Paulinho e Fernandinho, também foi bonito de ver. Aquela vontade, aquela pegada, aquela troca de posição, aquela série de jogadas no primeiro tempo. No segundo tempo jogou numa dificuldade maior", analisou o treinador.

Felipão, entretanto, não quis adiantar se efetivará a mudança para a semifinal de terça-feira contra a Alemanha em Belo Horizonte. Ele disse que vai esperar a recuperação dos jogadores antes de decidir.

"A minha função é decidir amanhã, depois de amanhã", disse o técnico. "Depende, vamos estudar. Depende das recuperações, do ambiente desses dois, três dias, a gente observar como os jogadores reagem, porque foram duas decisões difíceis", afirmou, se referindo à dura partida em que o Brasil eliminou o Chile nas oitavas de final nos pênaltis e ao jogo contra os colombianos nesta sexta.

Além de decidir se Luiz Gustavo volta ao time, Felipão também terá os desfalques de Thiago Silva, suspenso ao levar o segundo cartão amarelo no torneio nesta sexta, e Neymar, que sofreu uma fratura em uma vértebra ao levar uma joelhada nas costas e está fora do Mundial.

"Agora temos um embate dificílimo, mas dentro do previsto. Dentro daquilo que nós imaginávamos, de enfrentar A, B, C, D, a Alemanha estava no caminho para chegarmos à final."

(Reportagem de Pedro Fonseca)

 
Felipão durante jogo do Brasil contra a Colômbia.  REUTERS/Yves Herman