Clima de luto toma conta de concentração da seleção após lesão de Neymar

sábado, 5 de julho de 2014 19:48 BRT
 

TERESÓPOLIS Rio de Janeiro (Reuters) - Um clima de luto tomou da seleção brasileira nas últimas horas por conta da lesão lombar do atacante Neymar que o tirou do mundial.

A solidariedade, o choro e a lamentação começaram ainda em Fortaleza, onde o Brasil derrotou a Colômbia por 2 x 1 na sexta-feira, quando o jogador chegou de ambulância ao avião onde estavam os jogadores da seleção que esperavam o craque para embarcar para o Rio de Janeiro.

“Foi difícil dormir essa noite. Muita gente chorou com ele e fizeram fila para cumprimentá-lo na hora de ir embora”, disse à Reuters um membro da comissão técnica.  

“Claro que o grupo teve um choque e todos ficaram chateados. Parece que a gente perdeu o jogo. Isso vai ser motivo para o grupo crescer para avançar e homenagear o colega que se dedicou muito ao grupo”, acrescentou o médico do Brasil, José Luís Runco.

O jogador foi avisado por Runco sobre a gravidade da lesão que o tiraria do restante do Mundial.

Com anos de seleção brasileira, Runco comparou a notícia que teve que dar a Neymar ao corte do volante Emerson, que se lesionou às vésperas do Mundial de 2002 numa brincadeira em um treino em que atuava como goleiro. Nos dois casos, o médico teve o papel de incentivar os atletas.  

“Não dei chance dele me perguntar, eu passei a ele que ele estava for a (da Copa) e ele ficou extremamente emocionado. Era muito normal isso ocorrer”, disse Runco a jornalistas.

“Com o tempo foi ele entendendo e eu disse: essa é uma  limitação de um sonho, mas não a limitação de um jogador. Foi lesão boa, entre aspas, como jogador profissional”, acrescentou o médico, explicando que a contusão de Neymar não o impede em nada de voltar a atuar em alto nível.

O desânimo tomou conta até dos torcedores, que em outros finais de semana lotavam a porta da Granja Comary, em Teresópolis (RJ), à espera de um mínimo contato com os atletas.   Continuação...

 
Jogadores da seleção brasileira antes de treino em Teresópolis. 05/07/2014. REUTERS/Marcelo Regua