Técnico da Argélia deixa cargo apesar de presidente do país pedir que ficasse

segunda-feira, 7 de julho de 2014 09:12 BRT
 

(Reuters) - O técnico da seleção da Argélia, Vahid Halilhodzic, confirmou no domingo que vai deixar o cargo, apesar de o presidente do país ter pedido sua permanência após o treinador levar a seleção argelina às oitavas de final da Copa do Mundo pela primeira vez na história.

O técnico bósnio confirmou sua renúncia ao cargo em um comunicado publicado na página da Federação Argelina de Futebol na Internet.

Halilhodzic havia recebido um pedido pessoal do presidente da Argélia, Abdelaziz Bouteflika, para que permanecesse no comando da seleção após serem recebidos como heróis na capital, Argel, na quarta-feira.

A Argélia foi derrotada por 2 x 1 na prorrogação pela Alemanha nas oitavas de final do Mundial, em Porto Alegre, na segunda-feira passada.

"Obrigações familiares e o desejo de novos desafios esportivos pesaram em minha decisão", disse Halilhodzic.

O treinador de 61 anos deve ser nomeado novo técnico do clube turco Trabzonspor na próxima semana.

A Argélia já tinha definido o francês Christian Gourcuff como provável sucessor de Halilhodzic, após o bósnio dizer vários meses atrás que não renovaria o contrato após o Mundial.

Halilhodzic, um ex-atacante da antiga seleção da Iugoslávia, teve uma relação conturbada com a federação e a mídia argelina, mas acabou se tornando um herói entre a população depois que a Argélia passou pela primeira vez para a fase de mata-mata do Mundial.

(Reportagem de Mark Gleeson, em Salvador)

 
Técnico da seleção da Argélia, Vahid Halilhodzic, ergue uma bandeira da Argélia durante recepção aos jogadores no centro de Argel. 2/07/2014. REUTERS/Louafi Larbi