Alemanha quer 4o título mundial para saciar grandes expectativas em casa

segunda-feira, 7 de julho de 2014 19:14 BRT
 

Por Erik Kirschbaum

SANTO ANDRÉ Bahia (Reuters) - A história pesa sobre os ombros dos jogadores da Alemanha, país que se prende às glórias de seus três títulos mundiais com um afinco especial --em parte devido à falta de heróis nacionais provenientes de um beligerante século 20.

Troféus, especialmente a Copa do Mundo, são valorizados em qualquer país, mas para os alemães os sonhos, aspirações e identidade de todo o país estão intimamente intrincados com o êxito --ou fracasso-- no torneio realizado a cada quatro anos.

O Mundial tornou-se parte da composição do país desde que a Alemanha conquistou seu primeiro título em 1954 na Suíça, com vitória sobre uma poderosa Hungria em um episódio que ficou conhecida como o "Milagre de Berna", feito que ofereceu a uma nação humilhada, destruída por bombardeios e caída em desgraça após a Segunda Guerra Mundial a chance desesperada de uma nova identidade.

Os jogadores naquele 1954 foram reverenciados na Alemanha e os historiadores apontam para o título conquistado quase uma década após o fim da Segunda Guerra Mundial como um marco no renascimento da Alemanha Ocidental e ponto de partida para o “milagre econômico” do país no pós-guerra.

O segundo título mundial, de 1974, conquistado em casa sobre uma Holanda favorita, e o terceiro título sobre a Argentina, na Itália em 1990, às vésperas da reunificação alemã, desempenharam papéis similarmente cruciais na psique nacional e deram ao país algo para se orgulhar e, até mesmo, sentir-se patriótico.

Agora, uma geração depois e quase exatamente 60 anos após a primeira conquista de um Mundial, os alemães têm um forte sentimento de que merecem ficar com o título pelo quarta vez.

Há muita pressão sobre os anfitriões da seleção brasileira para que vençam a semifinal de terça-feira, mas os jogadores alemães precisam lidar com mais do que isso --eles carregam o peso da expectativa de toda a nação de que finalmente vão trazer para casa uma furtiva quarta Copa.

"Os alemães merecem finalmente vencer novamente a Copa do Mundo”, disse o meia Mesut Ozil pouco antes do início do torneio. “Toda a Alemanha espera que vençamos. Então sabemos que a pressão está sobre nós.”

“Sabemos que podemos todos nos tornar lendas se vencermos, porque nenhum outro país europeu nunca venceu um Mundial na América do Sul”, acrescentou o jogador.

Fazem 24 anos desde que a Alemanha Ocidental venceu o Mundial pela última vez, após chegar às semifinais nos últimos três torneios, e os alemães sentem que já passou do tempo para dar um impulso à identidade nacional.

 
Técnico da Alemanha, Joachim Loew (centro), fala com seus jogadores durante treino em Belo Horizonte. 7/7/2014   REUTERS/Leonhard Foeger