ANÁLISE-"Pane" da seleção enterra busca por título em casa

terça-feira, 8 de julho de 2014 23:12 BRT
 

Por Tatiana Ramil

BELO HORIZONTE (Reuters) - A "pane" sofrida pela seleção brasileira contra a Alemanha evidenciou um problema tático no meio-campo ocorrido durante toda a Copa do Mundo, que desestabilizou os jogadores e encerrou a busca do Brasil pelo primeiro título mundial em casa.

Os alemães deram um baile nos brasileiros no Mineirão e venceram por 7 x 1 a semifinal do Mundial, ao trocarem passes no meio-campo com extrema facilidade. Quatro gols em seis minutos na metade do primeiro tempo acabaram com o esquema do técnico Luiz Felipe Scolari, que classificou como "pane" o desempenho do Brasil diante do bombardeio alemão.

Mesmo com um meio-campo que não funcionou durante toda a competição, o treinador brasileiro optou por Bernard no ataque para o lugar de Neymar, em vez de reforçar o meio-campo diante de um time forte, com jogadores do calibre de Schweinsteiger, Kross, Oezil e Khedira.

"A seleção jogou muito mal, os jogadores sentiram muito, mas acho que tudo parte da formação tática errada que iniciou o jogo. Estou atordoado. A maneira como o Brasil jogou, como tomamos os gols, como fomos eliminados. É um dia muito triste para o futebol brasileiro", disse o ex-atacante Ronaldo, que perdeu a artilharia das Copas para o alemão Klose, em comentário na TV.

O problema do meio-campo brasileiro na Copa era mais na armação do que na marcação. Luiz Gustavo fez bem seu papel de proteger os zagueiros, mas Paulinho e Fernandinho, que se revezaram na função de segundo volante, foram irregulares e tinham problemas na saída para o ataque.

Contra a Alemanha, Fernandinho foi mal também na marcação e parecia perdido diante dos toques rápidos dos rivais.

Responsável pela criação de jogadas, Oscar só jogou bem a estreia contra a Croácia, depois disso virou um marcador pelas laterais de campo, assim como Hulk, que correu muito, mas foi ineficiente.

Outra decepção foi Fred. Apesar de a bola ter chegado pouco nele, o atacante ficou muito parado, sempre preso à marcação dos adversários, e foi um dos mais criticados pela torcida.   Continuação...

 
Técnico Luiz Felipe Scolari consola Oscar após derrota para Alemanha por 7 x 1 no Mineirão, em Belo Horizonte.  8/7/2014.   REUTERS/David Gray