Alemanha deve manter fórmula vitoriosa para final contra a Argentina

sexta-feira, 11 de julho de 2014 18:45 BRT
 

By Karolos Grohmann

RIO DE JANEIRO (Reuters) - É difícil imaginar o técnico da Alemanha, Joachim Loew, fazendo mudanças no time que arrasou o Brasil por 7 x 1 na semifinal da Copa do Mundo ao escalar a equipe para a final no domingo contra a Argentina, após ter passado a maior parte do torneio fazendo ajustes para encontrar a sintonia perfeita.

Levaram anos para o treinador finalmente reunir uma equipe que pudesse seriamente disputar um título, e ele ainda precisou dos primeiros jogos do Mundial para organizar os jogadores antes de se contentar com aquela que pode ser considerada a equipe alemã mais poderosa das últimas décadas.

A defesa da Alemanha há muito tem sido o calcanhar de Aquiles do time sob comando de Loew, que gosta de equipes ofensivas, e ele falhou em encontrar uma boa dupla de zaga, optando em vez disso por fazer um rodízio de parceiros em torno de Per Metersacker.

Foi somente após ele desistir do zagueiro alto, porém lento, em prol de uma parceria mais versátil entre Jérôme Boateng e Mats Hummels, que os alemães finalmente pareceram mais sólidos atrás.

Foi preciso quatro partidas no Mundial para Loew se convencer de que Boateng, um zagueiro central no Bayern de Munique, não era a melhor escolha para a lateral-direita, enquanto Philipp Lahm estava deslocado pelo meio.

O retorno de seu capitão à lateral-direita, posição em que o próprio Loew jogou por um década, e de Boateng à sua posição natural no centro da defesa mostraram-se fundamentais para a vitória por 1 x 0 contra a França nas quartas de final, e o ajuste permaneceu inalterado para a semifinal.

PARCERIA PERFEITA   Continuação...

 
Seleção da Alemanha participa de treino em Santo André (BA). 10/7/2014  REUTERS/Arnd Wiegmann (BRAZIL  - Tags: SOCCER SPORT WORLD CUP)