July 12, 2014 / 10:19 PM / 3 years ago

Falar sobre o futuro agora é irrelevante, diz técnico argentino Sabella

3 Min, DE LEITURA

Técnico argentino Alejandro Sabella chega para entrevista coletiva no Maracanã. 12/07/2014Dylan Martinez

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O técnico da Argentina, Alejandro Sabella, disse neste sábado que falar sobre sua saída do cargo após a final da Copa do Mundo é "irrelevante" diante da importância da decisão de domingo contra a Alemanha. 

O empresário de Sabella disse a uma rádio argentina na sexta-feira que Sabella pensava em deixar o emprego independentemente do resultado da final de domingo, mas o técnico de 59 anos, que assumiu em 2011 e levou a Argentina à primeira final de Copa em 24 anos, se esquivou das perguntas sobre o assunto em entrevista coletiva no estádio do Maracanã.

"Isso é irrelevante agora. A coisa mais importante é a partida de amanhã", disse Sabella.

Apesar das afirmações do empresário Eugenio López de que Sabella deixaria do cargo, o técnico afirmou que ainda não discutiu o assunto com sua família.

"Primeiro de tudo, eu não discuti nada com a minha família em relação ao futuro", afirmou. 

Se realmente for deixar a seleção, Sabella não poderia desejar um presente de despedida melhor do que ganhar a Copa do Mundo com a Argentina em território brasileiro. 

O ex-técnico do Barcelona Gerardo Martino e o treinador do Atlético de Madri, Diego Simeone, são alguns dos possíveis candidatos a técnico. 

Segundo a agência de notícias estatal Telam, o contrato de Sabella termina logo após o Mundial, e as notícias de sua possível despedida surpreenderam os argentinos. 

"Ele vai partir. Ele vai embora não importa o que aconteça. Sejam eles campeões ou não, um ciclo está se fechando", disse López à rádio argentina Delta FM. 

ética De Trabalho

A seleção argentina tem se mostrado mais habilidosa sob o comando de Sabella, não só pela presença de Lionel Messi, melhor jogador do mundo por quatro vezes. O treinador criou uma formidável ética de trabalho com o grupo e introduziu uma disciplina tática necessária ao time. 

Os sul-americanos foram os líderes do Grupo F do Mundial, vencendo a Bósnia, Irã, e Nigéria, antes de conseguir duas vitórias por 1 x 0 contra a Suíça e a Bélgica nas oitavas e nas quartas de final. A equipe empatou sem gols contra a Holanda na semifinal e conquistou a vaga na final nos pênaltis. 

Sabella, que como jogador fez oito jogo pela Argentina, deixou o River Plate em 1978 para jogar na Inglaterra por Sheffield United e Leeds United, além de ter sido jogador de outras equipes no Brasil e no México.

"Eu achei que teria mais cabelos nessa idade!", brincou Sabella com um jornalista inglês que lhe perguntou se o ex-jogador cabeludo, hoje técnico, imaginava que um dia estaria se preparando para uma final de Copa do Mundo décadas depois.

"Eu nunca fui desses de pensar muito a longo prazo. Se me perguntar sobre o futuro, falaremos sobre o próximo treino. Mas estamos falando sobre 35 anos atrás, então obviamente que eu nunca havia imaginado isso", afirmou. 

Reportagem adicional de Alejandro Lifschitz e Peter Rutherford

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below