Dilma faz entrega simbólica do Mundial para Rússia e ressalta "diversidade" do Brasil

domingo, 13 de julho de 2014 18:18 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff fez neste domingo, no Rio de Janeiro, a entrega simbólica da Copa do Mundo para a Rússia, sede do próximo Mundial, em 2018.

Em evento com a presença do presidente russo, Vladimir Putin, Dilma, que vai entregar a taça ao campeão na final entre Argentina e Alemanha no Maracanã, desejou "ao povo russo muito sucesso na organização e realização da Copa do Mundo".

"A partir de agora, os fãs do futebol voltam sua atenção para a Rússia, um país especial, de uma cultura rica, e que terá a honra de sediar o maior dos espetáculos do futebol", afirmou Dilma, segundo comunicado da Presidência da República.

A presidente destacou que a Copa do Mundo no Brasil foi um sucesso e que "muita emoção foi vivida nos estádios e em todas as 12 cidades-sede".

"Estou certa que todos os que vieram ao Brasil - delegações, seleções, turistas - levarão de volta a experiência de ter conhecido um belo país, feito por um povo carinhoso e receptivo, e onde impera a diversidade", disse.

Antes da partida deste domingo no Maracanã, Dilma Rousseff e o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, receberam 10 chefes de Estado para um almoço realizado no Palácio Guanabara.

Estiveram presentes os presidentes da Rússia, Vladimir Putin; da África do Sul, Jacob Zuma; do Gabão, Ali Bongo Ondimba; do Haiti, Michel Martelly; o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán; a primeira-ministra de Trinidad e Tobago, Kamla Persad-Bissessar; o primeiro-ministro de Antigua e Barbuda, Gaston Browne; o primeiro-ministro da Namíbia, Hage Geingob; o presidente da Alemanha, Joachim Gauck; e a chanceler alemã, Angela Merkel.

(Por Tatiana Ramil)

 
Presidente Dilma Rousseff conversa com o presidente russo, Vladimir Putin, durante encontro no Rio de Janeiro. 13/7/2014. REUTERS/Alexey Nikolsky/RIA Novosti/Kremlin